Menu
in ,

ROCKline: um bate-papo com o titã do rock nacional Nando Reis

Cantor e compositor fala sobre o relançamento do álbum “Para Quando o Arco-íris Encontrar o Pote de Ouro”, entre outros projetos

Foto: Reprodução / Twitter

Terça feira, 07.06.2022, 11:15h da manhã. Cabisbaixo, repasso as perguntas que tinha anotado em um pedaço de papel de frente para a câmera do celular quando, do outro lado, aparece ele, Nando Reis. Já nos encontramos outras vezes por conta dos nossos trabalhos, mas, confesso, sempre fico intimidado. O cara escreveu vários hinos que embalaram inúmeros momentos da minha vida. Conversar com ele é sempre um aprendizado, e dessa vez, claro, não foi diferente.

LEIA MAIS: 

A ocasião que me traz a esse papo é o relançamento, vinte e dois anos depois, do disco “Para quando o arco íris encontrar o pote de ouro”. Produzido por Jack Endino, pelo saudoso Tom Capone e pelo próprio cantor e compositor, Nando conta que, na época da gravação do disco, não conseguiu deixá-lo como gostaria, já que teve muito pouco tempo em Seattle, onde parte dele foi gravado.

Nando Reis e Jão. Foto: Divulgação


As vozes foram gravadas no Brasil. Quando perguntado sobre a alta carga sentimental que o disco carrega, Nando concorda:

“É um disco que tem duas pessoas que não estão mais aqui e que eu amo muito: O Tom (Capone) e a Cássia (Eller)” diz ele. Se o amigo e produtor faz muita falta, a amiga e confidente, então, nem se fala “Ela fez muito desse disco acontecer. “All Star”, “Relicário”, nossa, como essas músicas ganharam força com ela. E, claro, são vinte e um anos sem ela, a dor fica menos difícil de lidar, mas a saudade, mesmo com o tempo ajudando a amanar, ainda é muito grande”.

Parcerias de Nando


Advertising
Advertising

Pergunto sobre Elana Dara, jovem cantora que divide os vocais com ele na nova versão de “Hey babe” e Nando abre um sorrisão. Segundo ele, quem deu a maior força para a parceria foi Vânia, sua esposa. Nando conta que, ao ouvi-la, Vânia ficou encantada. Ele, então, fez o convite, sem saber de um sinal que unia os dois: Elana nasceu no ano que o disco foi lançado. “Ela tem uma voz incrível e uma presença muito forte. Trabalha bem os graves na voz, que dão a ela muita personalidade. E eu adoro cantar com mulheres! As músicas ficam muito mais bonitas com a voz delas” afirma o ruivo. Concordo em gênero, número e grau, meu ídolo.

Foto: Carol Siqueira

Colomy

Com o gancho de estar jogando luz em uma cantora em início de carreira, lembro que a banda do filho, Sebastião Reis, a Colomy, também é constantemente companhia do pai na estrada para os shows de abertura. Como sempre é muito generoso com qualquer artista novo que o aborda, pergunto a Nando se ele quer ser a porta de entrada para as novidades do mundo da música nacional em seus shows. Nando agradece, mas pondera: “isso não é uma estratégia. Eu apenas ouço e, quando gosto, procuro ajudar apresentando para o meu público, assim como eles me apresentam para o deles” diz ele, com a humildade habitual.

Foto: Lucas Redondo


“Gravei com o Jão e vi muita gente no canal dele no Youtube sem saber quem eu era, assim como muita gente que me curte veio até mim elogiar o Jão. E vejo que, quem me segue, não é careta para as novidades. O país já está careta demais, isso não precisa chegar na música, né?”, acerta mais uma vez o cantor. E isso, para o bem ou para o mal, acaba levando o papo para o momento atual do país. Nando desabafa: “Cara, tá tudo muito ruim. É horrorosa a situação que estamos vivendo, além de inacreditável. Mas tenho esperança que em outubro, isso termina”, diz Nando, contando também com a minha torcida e de boa parte do país.

Nando Reis estreia Podcast em um bate-papo com Jão. Foto: Carol Siqueira/Divulgação

LEIA MAIS: 

Turnê ‘PittyNando’



Para fechar o papo, conversamos sobre o início da turnê em conjunto com a cantora Pitty, o “PittyNando”, que começa no próximo sábado, dia 11 de junho, no Festival João Rock e mais uma vez, Nando se derrete pela princesa do rock nacional (lembrem-se que a Rainha é Rita Lee!).

“Ela é incrível, um ser humano fantástico! O Brasil tem muita sorte de ter mulheres do naipe da Rita e da Pitty à frente do rock! Extremamente profissional, talentosa, uma voz linda, atitude, enfim, tudo de bom!”, sentencia ele.



Como não poderia deixar de ser e levando em consideração o histórico do ruivo, fica a pergunta: e aí, Nando, teremos música inédita sua com a Pitty: “Claro!”, exclama ele com um sorriso como o de uma criança que acaba de ganhar aquele presente que pedia há tempos. “Já está pronta, porém, ainda não gravamos. Mas, isso vai acontecer em breve!”, entrega ele.

Pitty e Nando Reis – Foto: Divulgação

E o Brasil agradece mais essa parceria entre dois titãs do rock nacional que tem tudo para ser simplesmente incrível!

Brigadão, Nando! Até a próxima!

Por: Paulinho Coruja

Escrito por Magda Pinheiro