in ,

Revelados detalhes do álbum novo do BTS

O cantor Jimin, do BTS, contou um pouco sobre o desenvolvimento do próximo álbum do grupo, durante uma live no YouTube na terça (16/6). Ele disse que está atuando como coordenador do projeto. É o responsável por enviar as composições escritas pelos integrantes para a Big Hit Entertainment.

Revelados detalhes do álbum novo do BTS
(Foto: Divulgação)

O conceito do disco está decidido, mas ele não diz qual é. “Temos nos reunido ultimamente para discutir o assunto. Na última vez, conversamos muito sobre quais assuntos ou ideias seriam bons”, contou Jimin.

Todos os membros têm trabalhado em composições. E algumas são realmente muito boas, segundo Jimin. Tão boas que ele admite que as dele mesmo não deverão entrar no álbum, porque outros integrantes fizeram músicas melhores.

“Map of the Soul: 7” foi prejudicado pela pandemia

O próximo álbum ainda não tem data de lançamento. Ele sucederá o “Map of the Soul: 7”, que teve seu ciclo de vida interrompido por conta da pandemia do coronavírus. Embora não tenha rendido muito – não houve uma turnê, por exemplo – o disco bateu quatro milhões de cópias comercializadas apenas na Coreia do Sul. Ele foi nº1 em vários países, como Estados Unidos, Japão e Austrália, entre outros.

Deste álbum, saíram dois singles bem sucedidos: “Black Swan” e “On”, que alcançou o 4º lugar na Billboard Hot 100 e o 1º na parada da Coreia do Sul. Os clipes de ambas as músicas ultrapassaram as 100 milhões de visualizações. “On” teve mais de 145 milhões.

Sete anos de BTS

O grupo está comemorando sete anos de atividade. No mesmo vídeo no YouTube, Jimin agradeceu aos fãs pelo apoio durante todo esse período. “Estávamos apertando as mãos e nos abraçando. Conversamos sobre coisas como… se não tivéssemos todos renovado nossos contratos, não poderíamos nos ver mais há três dias, e agradecemos uns aos outros por trabalharmos tão duro. Prometemos trabalhar ainda mais duro no futuro”, disse o artista.

Escrito por Leonardo Torres

Lembra dele? Cantor Akon gastará R$ 31 bilhões para criar uma cidade em seu nome

Pablo Alborán revela: “sou homossexual e tudo bem”