Preta Gil e Francisco. Foto: Divulgação
in ,

Preta Gil reúne a família em “Meu Xodó”, música abre alas de seus 20 anos de carreira

Cantora conta em entrevista ao POPine que a dobradinha com o filho, Francisco Gil, a “tirou do fundo do poço”

O momento é de ressignificação para Preta Gil. Impactada pelos altos e baixos dos tempos de incerteza que vive o planeta, a cantora se viu num déficit criativo e decidiu dar uma pausa para respirar. Primeiro veio a pandemia e, em consequência dela, a perda de pessoas queridas. O recolhimento se fez necessário naquele momento, tanto quando o seu retorno, agora. E esse volta aos holofotes, se assim podemos chamar, acontece de uma forma mais do que especial: tudo em família. É que Preta acaba de lançar “Meu Xodó”, single em parceria com o filho, Francisco Gil.

E mais do que a união com o herdeiro, Preta juntou seus xodós mais queridos para clipe solar, gravado á beira-mar no Rio de Janeiro. Trazendo uma energia de amor e esperança, ela conta com as participações do pai, Gilberto Gil, da neta, Sol de Maria, e do marido, Rodrigo Godoy.

Foto: Alex Santana

“A gente começou a gravar às 5h da manhã. O clipe começa no nascer e termina no pôr do sol. Está muito lindo, poético e singelo. É bem simples, do jeito que tem que ser. Porque o amor nasce desta simplicidade.É um documento histórico e importante pra mim. Consegui reunir quatro gerações da minha família. Perder minha avó e meu amigo (o humorista Paulo Gustavo) me deu vontade de eternizar esses momentos de afeto. É o que fica, né? A vida é um mistério e eu quero viver o hoje, o agora, A música fala de valorizar essas chamas de amor”, diz ela, em entrevista exclusiva ao POPline.

O dueto marca um resgate às origens musicais da cantora, que completa 20 anos de carreira no ano que vem, já que há 19 ela debutava com o “Prêt-à-Porter”. De lá para cá, Preta experimentou diversos ritmos, firmado parcerias de sucesso com nomes da cena pop da qual ela pertence e ajudou a construir. Numa mistura de afoxé good vibes, a dobradinha com o filho conta ainda com a produção com o trio Dogz (Pablo Bispo, Sérgio Santos e Ruxell).

Preta Gil. Foto: Divulgação

“Eu ressignifiquei até meu ego artístico. A expectativa de ser hit, sabe? Hit é o que eu amo o que eu gosto, a minha verdade. ‘Meu Xodó’ é um resgate meu das raízes sonoras lá do meu primeiro álbum, que é um afoxé swingado, que faz parte do meu DNA e do DNA do Fran. É uma conexão com a minha essência. Tem tudo a ver comigo com o que eu sou”, celebra a cantora.

E toda essa onda de esperança surge após um período conturbado na vida da artista, assim como para muito de seus fãs. A cantora passou a buscar mais de seu verdadeiro eu após a perda de sua avó e, em seguida, de um de seus melhores amigos, o ator e humorista Paulo Gustavo, ambus vítimas da Covid-19. Da profunda tristeza, Preta viu na nova faixa um verdadeiro afago.

 

Preta Gil e Sol de Maria. Foto: Divulgação

“Ano passado os meninos do Dogz tinham produzido do disco do Fran, o ‘Raiz’, e meu último single, ‘Só Amor’. A gente tinha essa vontade de dar continuidade na parceria, mas eu eu tava imersa em muita tristeza, eu fiquei muito paralisada, por essa situação pandêmica, que me deixou apática criativamente, eu não tive meios de colocar energia naquele momento. Eu estava num luto profundo, estava no fundo do poço”, conta.

Foi, então, que Francisco Gil, seu filho, decidiu, escrever uma música para tentar tirá-la da angústia. Quando ele já estava quase desistindo do dueto com a mãe, Preta se viu pronta para colocar os vocais na canção, que veio como um respiro para ela.

Preta Gil e Francisco. Foto: Divulgação

“Ele tinha feito aquela musica pra mim, e veio com uma grande força. Quando escutei e li a letra foi um afago, um carinho, um verdadeiro xodó para minha alma. Uma música feita pelo meu filho e que falava de coisas que eu precisava ouvir naquele momento. Eu brinco que xodó é a mola do meu poço, ela me deu vontade de viver, de emergir, eu fiquei muito feliz”, relata, orgulhosa do trabalho.

E muito se engana quem pensa que o tal xodó é apenas direcionado para um relação romântica. Para a cantora, que completa 47 anos neste domingo (8), o nome carinhoso de afeto pode se tratar de um gesto, um sorriso… o xodó é totalmente subjetivo para ela. E assim ela propôs o clipe. Não é atoa que Gilberto Gil aparece de forma virtual, remetendo aos afetos da época de isolamento.

“A presença do meu era muito importante. Eu, Francisco a Sol e o Rodrigo a gente está quarentenado juntos, nos moramos no mesmo prédio, eles são os meus xodós possíveis. E representam a minha família, meus amigos, e meus fãs. Mas a gente tem xodó virtual, sensorial… Xodó é tudo aquilo que faz a gente ter vontade de viver. E nesse momento de tanta tristeza, tive, através dessa musica, a vontade de me conectar com o que dá prazer de viver. Um xodó pode ser um telefonema, ligar para falar com sua avó, sua mãe, é um carinho. É sobre a gente conectar amor”, celebra.

E os fãs da cantora precisam ficar ligadinho. O trabalho é o início de um projeto da artista em celebração à duas décadas de dedicação à música. Ainda sem saber se teremos Bloco da Preta no Carnaval 2022 e os show como no “velho normal”, a cantora segue planejando de casa mesmo a celebração de seus 20 anos de carreira na música.

Preta Gil e Francisco. Foto: Divulgação

“Essa canção marca a minha volta para musica. É o início de um projeto que a gente culminar no ano que vem, no lançamento de um projeto maior para os 20 anos de carreira. Gravar e lançar fonogramas é materializar a musica e o amor pela sua arte. Estou de volta e entendendo essa  complexidade da vida, entendo as perdas, os amores e essa equação de dor e felicidade. Fazendo com que a felicidade sempre prevaleça”, conta ela.

E fazendo um balanço dessa trajetória de sucesso, Preta já falou em diversas entrevistas lá no início da carreira que pedia composições para seu pai, mas ele se negava, na intenção de fazê-la encontrar “sua turma” e uma identidade musical própria. E assim ela fez. Ao longo dos 20 anos, ela fechou parcerias com Ana Carolina, Anitta, Thiaguinho,Pabllo Vittar e deu oportunidades para nomes como Luísa Sonza, quando ela ainda estava começando a cantar. Hoje, ela celebra ter participado e ter ajudado a construir essa cena pop atual tão bem sucedida.

Entrevista: Preta Gil fala de seu Carnaval virtual, prejuízos no setor do entretenimento e atitude dos negacionistas
(Foto: Alex Santana)

“É um dos maiores prazeres da minha vida. Desde que eu sou criança, quando eu tinhas uns 12, 13 anos, o Luiz Caldas se lançou. Quando eu chegava no Rio (de Salvador), meus amigos nem sabiam o que era, estavam ligadas nos Paralamas do Sucesso ou no e RPM. Eu colocava o Caldas e o povo ficava enlouquecido. Nas minhas festas sempre tocavam musicas que ninguém nunca tinha ouvido falar. Eu sempre gostei de fazer conexões e jogar luz e em artistas que muitas vezes são desconhecidas. E foi assim com todas essas cantoras. É uma coisa que eu tenho prazer” conta.

Tanto que esse olhar apurado e o gosto de fazer todo mundo crescer junto, fez Preta Gil se tornar uma empresária de sucesso à frente de suas empresas e selos muscais que gerenciam carreiras de novos artistas e outros já consolidados. “Eu tenho esses 20 anos de vivência, e pude ver a história sendo feita e fazer parte dela. Morro de orgulho de ver essa gente e tantas outras que eu ainda vou trabalhar junto brilhando. Acho que elas vêem em mim um apoio“, reflete.

Preta Gil é embaixadora do Fundo Brasil de Direitos Humanos
Foto: Divulgação

“Hoje faço mais profissionalmente do que amigavelmente, continuo, fazendo amigavelmente, claro, e mas também tenho minhas empresas  Eu pego que nem um filho. Eu amo fazer é um dom que eu tenho e faço bem, a prova é que tem tantos talento que, de alguma forma, colaborei para que brilhassem… Vou fazer isso velhinha, com 80 anos, em cima do trio e lançando novos talentos”, diz.

Escrito por Leonardo Rocha

Após críticas, Sarah faz apelo a favor da vacina contra Covid-19

Ariana Grande posta foto inédita de seu casamento em data especial