OXA. Foto: Instagram
in

OXA representa o Brasil em festival LGBTQIA+ da Alemanha

Artista falou sobre a importância de abrir o diálogo da comunidade queer pelo mundo

OXA é potência dentro e fora da música! Bastou um empurrãozinho de sua participação no “The Voice Alemanha” para que o talento da cantora não-binário ser reconhecido pelos quatro cantos do mundo. Tanto que, neste sábado (10), a artista representou o nosso Brasil no Christopher Street Day (CSD), festival europeu que celebra com orgulho a representatividade LGBTQIA+ na música.

Neste ano, o evento aconteceu em Munique, na Alemanha, trazendo OXA em seu line-up. Cria de São Paulo, a artista mora há alguns bons anos por lá, mas promete, agora, trazer novidades para o Brasil com o lançamento de um novo EP. Mas, por enquanto, sua estrela está brilhando por lá.

OXA. Foto: Instagram

Ter participado deste festival, um dos maiores da Europa, foi uma marco na minha carreira. Fiquei muito feliz. Eu, como pessoa não-binária, preta, periférica, foi muito importante, porque eu dei esperança para outras muitas pessoas que têm vontade de estar nessa palco ou fazer música e arte. Há espaço para todas“, diz OXA com exclusividade ao POPline.

O evento contou com a participação de celebridades, DJs, artistas queer, trazendo muitos discursos políticos.Tudo isso, claro, respeitando as recomendações para evitar o proliferação da Covid-19, mesmo com grande parte da população vacinada. “É para que a gente possa reduzir ataques contra a comunidade LGBTQIA+. Eu uso minhas redes para trazer paz, alegria e arte aos fãs“.

OXA. Foto: Instagram

A artista já integrou o elenco de espetáculos da Disney e chegou a dançar com Jennifez Lopez. Mas foi sua forte interpretação de “Born This Way”, clássico da carreira de Lady Gaga, no reality show musical que trouxe mais luz e visibilidade para a cantora. Ela ressalta a importância desses festivais e sobre artistas estarem à frente dessas manifestações.

“O meu país é o que mais mata LGBTQIA+ no mundo e as estatísticas só estão aumentando. Sá que eu não vou calar minha voz e a minha arte. E as minhas irmãs também não. Eu vou continuar lutando e vou continuar cantando em uma só voz”.

OXA. Foto: Instagram

Vale lembrar que OXA foi personagem marcante na temporada do “The Voice” da Alemanha, em 2019. A artista, de 30 anos, não se define como homem ou mulher, mas sim, como gender fluid (gênero fluído). E a escolha de seu nome artístico surgiu após a chegada ao país europeu. Há anos ela mora na Alemnha, onde segue tocando sua carreira na música.

“Eu escolhi (o nome) OXA, porque dei um nome à minha orientação sexual. OXA vem de Oxalá. Eu me considero um espírito artístico. A letra ‘o’ significa tudo ao masculino, e aletra ‘a’, tudo que pertence ao feminino. E o “x” seria meu espírito exercendo as duas forças na minha alma”, explica.

Dando continuidade a sua brilhando e promissora carreira, OXA agora se prepara pra uma iniciar seu legado aqui no Brasil. A produção e direção da carreira é da Ferrattry Produções, que garante um EP com muitos hits e representatividade. Resumindo: vem muita cisa boa por aí!

Escrito por Leonardo Rocha

Instituto da Manteiga agradece BTS

Shakira troca avatar e divulga pré-save de novo single nas redes