Foto: Divulgação
in

Orochi fomenta carreira de jovens periféricos com selo

No casting da Mainstreet Records estão nomes como BIN, Borges, PL Quest e MC Poze

Nem todos sabem mas, além de ter 3,4 milhões de ouvintes mensais no Spotify, Orochi é o fundador da Mainstreet Records, um selo criado com o intuito de fomentar a carreira de jovens periféricos no mercado fonográfico. Esse, inclusive, foi o tema do último álbum dele, “Lobo”, que junto com “Celebridade” passou semanas no top 50 álbuns do Spotify.

A Mainstreet Records é o fio condutor de “Lobo”, novo álbum de Orochi, todas as participações são de artistas assinados pelo selo. Alguns deles são: BIN, Borges, PL Quest e MC Poze – que inclusive assinou contrato recentemente. O rapper é considerado um dos nomes de destaque do rap da atualidade, com mais de 5,9 milhões de ouvintes mensais no Spotify e 350 milhões de visualizações em seu canal do YouTube.

O POPline.Biz é Mundo da Música entrevistou Orochi para saber mais sobre seus objetivos com a Mainstreet Records e o que o mercado pode esperar dos seus lançamentos. Confira um trecho da entrevista:

Biz: Seu último álbum traz participações dos artistas do casting da Mainstreet. A estratégia foi dar luz aos artistas com o seu alcance, ou agregar os públicos diversos desses artistas ao seu?

Orochi: Quando a gente dá destaque para esses artistas, a gente fortalece o movimento do rap todo. Esse é o objetivo da MainStreet. Todos esses cantores estão estourando com seus próprios estilos, suas próprias mensagens e naturalmente estão alcançando mais pessoas. E cada um que estoura ainda leva com ele uma grande equipe de produção, fotografia… Isso é emprego nas favelas, é renda, é crescimento para todo mundo.

Biz: Você criou o selo com intuito de lançar e potencializar a carreira de jovens periféricos. Como faz a seleção do casting e o que enxerga de diferencial nos artistas que estão na Mainstreet Records?

Orochi: Os artistas da nossa firma trazem um repertório muito rico. O foco sempre é lançar músicas de sucesso, com muita originalidade e com versos que falem sobre a vivência de cada um. Quando a gente chega numa comunidade e vê as crianças sonhando em serem MC’s, faz todo nosso trabalho valer a pena.

Foto: Divulgação

Leia mais:

Biz: O trap/rap está vivendo um momento especial na música. Muitos nomes estão se destacando, os números são exorbitantes (se comparado a outros gêneros). Como você vê esse movimento, tanto dos artistas como do público, com uma aceitação maior do estilo?

Orochi: Me sinto muito orgulhoso, o trap tá ganhando o Brasil. É muito bom ver jovens negros, periféricos, se tornando ídolos para milhões de pessoas. Isso é uma coisa muito legal que já acontece no futebol, agora no rap nós temos um fator extra que é a chance de mostrar nossas ideias para sociedade.

Biz: Vocês atuam com licenciamento de produtos, já que o fandom dos artistas do gênero são bem ativos? Se sim, conta como pensam nessa estratégia.

Orochi: Acabamos de lançar uma marca de roupas, já está disponível para os fãs. No futuro, queremos ter outros tipos de produtos, mas isso apenas se for o desejo do público. A gente quer que eles se sintam mais próximos e entendam que eles fazem parte de tudo isso.

Escrito por Rafa Ventura

Pai de Virgínia Fonseca morre aos 72 anos após dois meses internado

The Voice Kids: veja quem são os finalistas da competição