in ,

“One World”: álbum ao vivo do projeto liderado por Lady Gaga tem chances no Grammy?

Foto: Reprodução/YouTube

As performances caseiras de Lady Gaga, Taylor Swift, Billie Eilish, Lizzo, Sam Smith, Shawn Mendes & Camila Cabello, Paul McCartney, Elton John, Rolling Stones e outros grandes nomes da música foram compiladas no álbum ao vivo/colaborativo do projeto “One World: Together At Home”, que já está disponível em plataformas digitais como Spotify, Amazon e Apple Music.

São 79 canções do evento histórico e solidário que durou oito horas e foi transmitido para o mundo inteiro. Uma maratona solidária que angariou 127 milhões de dólares para ajudar na resposta à Covid-19. No entanto, a pergunta que muitos fãs tem feito nas redes sociais é: quais as chances de “One World: Together At Home” ser indicado para Álbum do Ano no Grammy em 2021? A história mostra que, embora improvável, é possível.

O POPline levantou algumas curiosidades:

Apenas quatro álbuns ao vivo já venceram

Em 62 edições do prêmio, apenas em quatro oportunidades o vencedor da principal categoria foi um trabalho registrado ao vivo. O álbum duplo “Judy at Carnegie Hall” fez da atriz e cantora Judy Garland a primeira mulher a vencer o prêmio de Álbum do Ano em 1962. A apresentação da cantora no lendário Carnegie Hall, em Nova York, foi chamada à época de “a maior noite da história do show business”.

Em 1973, George Harrison levou o prêmio pelo álbum triplo “The Concert for Bangladesh”. Corta para 1993: naquela noite, Eric Clapton faturou 6 prêmios – incluindo Gravação, Canção e Álbum do Ano – pelo “MTV Unplugged”. O trabalho marcou a volta por cima do músico após uma tragédia familiar: seu filho Conor, de 4 anos, caiu do 53º andar após um acidente doméstico. Dois anos depois foi a vez de Tony Bennett levar o seu troféu de Álbum do Ano – também por um trabalho da série “MTV Unplugged”.

As similaridades entre “Bangladesh” e “One World”

Quando falamos sobre a possibilidade de “One World: Together At Home” conseguir uma indicação para Álbum do Ano no Grammy 2021, devemos pensar nas similaridades deste projeto com “The Concert for Bangladesh”. Mas, vamos falar dele um pouco mais:

Baseado em dois shows de mesmo nome, feitos no Madison Square Garden, em Nova York, o projeto liderado por George Harrison traz as participações de astros do rock como Bob Dylan, Ringo Starr e Eric Clapton. Estas apresentações são consideradas como iniciativas de caridade pioneiras que auxiliaram refugiados bengalis sem-teto da Guerra de Libertação de Bangladesh. Esta foi a pedra fundamental para futuros concertos beneficentes como o icônico “Live Aid” (1985) e “Concert for New York City” (2001).

Na cerimônia do Grammy em 1973, George Harrison não compareceu, mas deixou a cargo do antigo companheiro de banda, Ringo Starr, a responsabilidade de receber o principal troféu da noite. Assim como o ex-beatle esteve a frente de tudo, Lady Gaga é a curadora do concerto solidário que reuniu mais de 100 artistas em diversos canais de transmissão. Uma vez indicada, as chances de vermos a estrela subindo ao palco para receber o prêmio – em caso de vitória – são grandes.

Mas e o que as regras do Grammy dizem?

Inicialmente, o prêmio de Álbum do Ano era entregue apenas ao artista principal. Foi o que aconteceu com George Harrison em 1973. Com o passar dos anos, o troféu passou a ser concedido “ao artista, produtores, engenheiros de masterização, mixers e artistas convidados de um álbum contendo pelo menos 51% de gravações inéditas, sendo vocais ou instrumentais”. Compositores não recebiam seus troféus até então.

Em 2017, a Recording Academy (associação que reúne músicos, produtores, engenheiros de som, compositores e técnicos) mudou novamente as regras da premiação e o troféu passou a ser entregue a “compositores, produtores, engenheiros, mixers, engenheiros de masterização e artistas participantes creditados em 33% ou mais do tempo do álbum”. Logo, a regra não se aplica aqui, uma vez que num universo de 79 faixas, nenhum artista tem mais de duas músicas na tracklist.

Além dos já citados anteriormente, nomes como Jennifer Lopez, Celine Dion, Maluma, Kesha, Niall Horan, Rita Ora, Adam Lambert, Luis Fonsi, The Killers, Charlie Puth, Jessie J, Annie Lennox, Sheryl Crow, Ellie Goulding e outros mais estão listados como artistas participantes de “One World: Together At Home”. Imagine se a Academia tivesse que fabricar dezenas de gramofones dourados a mais?

Os indicados ao Grammy 2021 serão revelados no fim deste ano. Se você é fã de Lady Gaga, faça sua torcida!

Ouça o álbum na íntegra!

Escrito por Daiv Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Avril Lavigne anuncia lançamento de regravação de “Warrior”, inspirada na atual crise pandêmica

De sua casa, Melanie C faz primeira performance televisionada de “Who I Am”