in ,

Novo clipe de Criolo é estrelado por performers de coletivos LGBTQIA+; assista à dançante “Etérea”!

Foto: Divulgação

Criolo não cansa de surpreender quando o assunto é posicionamento em suas letras. E mais uma vez, isso fica provado com “Etérea”, novo single autoral do cantor e compositor, que acaba de ser lançado nesta quinta-feira (14), que também ganha um clipe dirigido por Gil Inoue e Gabriel Dietrich. O vídeo é protagonizado por performers de importantes coletivos LGBTQIA+ que deram sua interpretação pessoal à música, trazendo a essência de seus grupos e elementos da cultura queer e do universo de sua atuação.

Depois de “Boca de Lobo”, música que batiza sua atual turnê, Criolo retoma com mais uma música de posicionamento político. “Etérea” é uma homenagem à população LGBTQIA+ brasileira, que marca também a sua primeira incursão na música eletrônica, com produção musical de Daniel Ganjaman, diretor musical de Criolo, em parceria inédita com DKVPZ. O projeto completo, que conta com videoclipe, making of e depoimentos coletivos e individuais, tem direção criativa de Tino Monetti e Pedro Inoue, que trabalham a criação e comunicação do artista e desenvolveram o universo da faixa em torno da representatividade, tendo como protagonistas performers ligados a causas sociais e coletivos dentro do cenário cultural da diversidade sexual em São Paulo.

“Esta população, apesar de estar no topo de todos os rankings de violência e morte do planeta, continua a celebrar sua existência e cultura através de grupos de resistência e coletivos contra a opressão”, explica Criolo. O Brasil é o país que mais assassina gays, lésbicas, bissexuais e transexuais no mundo. Foram 420 mortes em um ano, uma a cada 20 horas, segundo dados do Grupo Gay da Bahia. Segundo agências de direitos humanos, como a Anistia Internacional, matam-se muitíssimo mais homossexuais e transexuais no Brasil do que nos 13 países do Oriente e África onde há pena de morte contra os LGBT.

A ideia é mostrar a importância do trabalho que eles realizam, destacando a transformação social e cultural de suas atuações, especialmente no clima político atual. Com isso, Criolo abre suas plataformas para amplificar a fala destes performers, que são o coração e o cérebro do projeto. “Etérea é uma ode à arte queer em todas as suas expressões e homenageia os artistas e intérpretes que diariamente lutam contra o preconceito e a ignorância”, conta Criolo. A música aponta criticamente o momento em que vivemos, onde muitos direitos civis foram conquistados, assim como espaços de fala e representação, mas a violência homo e transfóbica continua a crescer.

Criolo disponibilizou hoje também um making of com depoimentos dos performers do clipe, no qual contam suas experiências, a relação com a família, seu coletivo e a busca pelo direto de existirem e serem quem são. O curta finaliza com uma mensagem do cantor sobre o respeito à diversidade. “É possível construir uma sociedade mais justa, é possível construir um ambiente onde as pessoas possam se respeitar. O medo não pode vencer a liberdade”.

Confira a letra de “Etérea”:

Uma bala quase hétero
Etérea, massa, complexo
De não se entender
Um canalha quase hétero
Ignorar amor por complexo
Medo de nele se ver
É necessário quebrar os padrões
É necessário abrir discussões
Alento pra alma, amar sem portões
Amores aceitos sem imposições
Singulares, plural
Se te dói em ouvir
Em mim dói no carnal
Mas se tem um jeito esse meu jeito de amar
Quem lhe dá o direito de vir me calar?
Eu sou todo amor
Medo e dor se erradicar
Feito o sol que ilumina a umidade suspensa do ar
Homo, homo, homo
Homo, homo, homo
Homo, homo, homo
Homo sapiens, errou
Homo, homo, homo
Homo, homo, homo
Homo, homo, homo
Homo sapiens, errou

Escrito por Daiv Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Capital Inicial lança clipe em stop motion para a faixa “Invisível” e conta com participação do Far From Alaska

De volta ao Brasil com a turnê “Divide”, Ed Sheeran emociona em São Paulo