Nova York planeja megashow no Central Park em agosto
NEW YORK, NEW YORK - MAY 31: People fill Sheep Meadow in Central Park on May 31, 2021 in New York City. On May 19, coronavirus pandemic restrictions were lifted making Memorial Day the first holiday weekend without any restrictions in over 15 months. (Photo by Cindy Ord/Getty Images)
in

Nova York planeja megashow no Central Park em agosto

O show, provisoriamente marcado para 21 de agosto, pretende celebrar a retomada da “normalidade” na cidade após a vacinação

Com a vacinação avançada, Nova York planeja um megashow no Central Park em agosto para celebrar a retomada da “normalidade” na cidade. De acordo com o New York Times, o prefeito Bill de Blasio está organizando uma apresentação em grande escala com vários shows e pediu a Clive Davis, produtor musical de 89 anos e reconhecido na indústria musical, para liderar o projeto.

O show, provisoriamente marcado para 21 de agosto, não há ainda, nenhum artista confirmado, embora Davis – cujos destaques de carreira de cinco décadas incluíram trabalhar com Janis Joplin, Bruce Springsteen, Aretha Franklin, Alicia Keys e Whitney Houston – disse que está almejando oito estrelas “icônicas” para apresentar um show de três horas para 60.000 participantes e uma audiência televisiva mundial.

Segundo o New York Times, o Prefeito disse em uma entrevista que o show fazia parte de uma “Semana de Boas-vindas” para mostrar que a cidade de Nova York está voltando da pandemia – uma celebração para os residentes e aqueles da região que podem não ter visitado o local por um tempo, durante a pandemia.

“Este show será uma oportunidade única na vida”, disse de Blasio. “Vai ser uma escalação incrível. A semana inteira será diferente de tudo que você já viu antes em Nova York.”

O show seria o mais recente em uma tradição histórica de superproduções do Central Park que tendem a atrair cobertura mundial. Muitos nova-iorquinos, especialmente o prefeito, podem saudar a cidade após a prevalência de imagens da era da pandemia, como uma Times Square deserta e vitrines fechadas com tábuas em meio aos protestos do verão passado após o assassinato de George Floyd.

“Não consigo pensar em um lugar melhor do que o Great Lawn do Central Park para ser o lugar onde você diz que Nova York está reabrindo”, disse Davis em uma entrevista.

Davis disse que de Blasio ligou para ele há três semanas, na época do último Grammy de gala de Davis, que ele organiza anualmente desde 1976, e foi dividido em duas partes este ano. Como Davis lembrou, o prefeito pediu que ele apresentasse um show em parceria com a cidade que celebrasse a reabertura de Nova York e enfatizasse a necessidade de vacinar mais jovens. O título provisório do evento dá uma ideia da ideia pretendida: “The Official NYC Homecoming Concert in Central Park.”

“Fiquei muito honrado”, disse Davis, que cresceu no Brooklyn.

Davis disse que ele e sua equipe, que inclui seu filho Doug, um advogado da indústria musical, ainda estão trabalhando contratando artistas, e ele se recusou a fornecer os nomes daqueles que tem em mente. Os acordos de patrocínio também estão em andamento, disse ele. O gabinete do prefeito disse que anunciaria um parceiro de transmissão em breve.

Mas, de acordo com o New York Times, vários detalhes para o evento já foram definidos. A Live Nation, o gigante global dos shows, está envolvida na produção, e a maioria dos ingressos será gratuita, embora haja alguns assentos V.I.P., afirma o site.

Mas, mesmo enquanto Nova York, agora corre para uma reabertura de locais de entretenimento – o site aponta que em uma recente entrevista coletiva com o governador Andrew M. Cuomo, James L. Dolan, o presidente-executivo da Madison Square Garden Entertainment, prometeu um “blockbuster verão ”- a perspectiva de um evento público em grande escala ainda pode representar complicações para a saúde e o controle de multidões.

Embora o estado tenha promovido seu passaporte de vacina Excelsior Pass como uma forma de restaurantes, operadoras de teatro e outros confirmarem o status de vacinação dos clientes, o sistema ainda é novo e não foi amplamente adotado pelo público ou por muitas empresas. De acordo com o estado, cerca de 1,1 milhão de passes foram baixados na semana passada, o que representa apenas uma fração dos 9,1 milhões de nova-iorquinos que foram vacinados.

O gabinete do prefeito disse que haveria seções vacinadas e não vacinadas no show, e que cerca de 70% dos ingressos iriam para pessoas que foram vacinadas. A cidade tem trabalhado muito para vacinar os moradores que relutam – de forma equivocada – em receber a vacina.

O New York Times aponta que o evento bem-sucedido pode ser um triunfo político para de Blasio, um democrata em seu último ano no cargo que entrou em confronto várias vezes com Cuomo. A popularidade de de Blasio despencou após sua corrida presidencial fracassada em 2019, e muitos pais ficaram frustrados com a caótica reabertura de escolas durante a pandemia.

 

Escrito por Láisa Naiane

Juliette confirma "orientações" de Anitta

Juliette confirma “orientações” de Anitta

Guto TV faz paródia com clipe de Pedro Sampaio e Luísa Sonza