Elis Regina. Foto Paulo Kawall
in ,

Nova coletânea de Elis Regina traz “Pequeno Exilado” para as plataformas de áudio

Dueto com Raul Ellwanger estava fora do catálogo da cantora há mais de 40 anos.

A saudade de Elis Regina, uma das maiores vozes do cancioneiro brasileiro, é aquela saudade que não passa. Em janeiro de 2022, completa-se 40 anos desde que a pimentinha nos deixou, mas essa saudade foi compensada na última semana com o lançamento da nova coletânea “Elis – Essa Saudade…” que, além de sucessos, resgata a faixa quase perdida “Pequeno Exilado”.

Leia Mais:

Elis Regina
Elis Regina. Foto Paulo Kawall

O novo compilado de músicas de Elis Regina chegou às plataformas de streaming na última sexta-feira, 3 de dezembro. “Elis – Essa Saudade…” foi produzida pelos jornalistas Danilo Casaletti e Renato Vieira, que se basearam no último período da carreira da cantora, especialmente a passagem dela pela Warner, para montar a tracklist.

Neste período na Warner, Elis Regina lançou dois importantes discos de estúdio, “Essa Mulher” (1979), que traz um dos maiores clássicos de seu repertório, hino do movimento pela Anistia no Brasil, “O Bêbado e a Equilibrista”, “Bolero de Satã” de Guinga e ainda “Cai Dentro”, e “Saudade do Brasil” (1980), que conta com faixas como “As Aparências Enganam” e “Alô, Alô Marciano”.

Todas essas músicas fazem parte de “Elis – Essa Saudade…”, assim como outras grandes interpretações da pimentinha como “Altos e Baixos” (Sueli Costa e Aldir Blanc), “Aos Nossos Filhos” (Ivan Lins e Vitor Martins) e gravações ao vivo, como “Madalena” (Ivan Lins e Ronaldo Monteiro), “Upa, Neguinho” (Edu Lobo e Gianfrancesco Guarnieri) e “Águas de Março” (Tom Jobim), do álbum “Elis Regina Montreux Jazz Festival”.

Elis Regina
Elis Regina. Foto Paulo Kawall

Pequeno Exilado

Uma faixa especial também faz parte de “Elis – Essa Saudade…”. Trata-se de “Pequeno Exilado”, dueto de Elis Regina com o cantor gaúcho Raul Ellwanger que jamais foi reeditada e chega pela primeira vez ao formato digital.

A música conta a história de um menino que, exilado com seus pais nos terríveis anos de chumbo da ditadura militar brasileira, ansiava por conhecer suas origens. “Pequeno Exilado” traz em seus versos diversos bairros de Porto Alegre, cidade natal de Elis e Raul, o que despertou uma emoção tangível na interpretação da cantora, que deixou a capital do Rio Grande do Sul ainda muito jovem por conta de compromissos de trabalho, se tornando assim um tanto exilada de sua terra também.

Alô, Alô, Marciano

“Alô, Alô, Marciano”, clássico assinado por Rita Lee e Roberto de Carvalho, também ganhou espaço em “Elis – Essa Saudade…”. Originalmente lançada em um compacto que precedeu a chegada do disco “Saudade do Brasil”, a música, que também estava indisponível nas plataformas de áudio, agora pode ser ouvida e ganha um toque especial.

A faixa foi gravada por Elis Regina no mesmo dia em que ela gravou “Pequeno Exilado” e na nova coletânea as duas músicas chegam em sequência na tracklist. As interpretações provocam emoções completamente diferentes e dão ao ouvinte o prazer de desfrutar da genilialidade da cantora.

“Elis – Essa Saudade…” já está disponível em todas as plataformas de streaming. Uma versão física do álbum deve sair nesta sexta-feira, 10 de dezembro.

Escrito por Mari Pacheco

Luísa Sonza faz o primeiro show da era “Doce 22” em Portugal

Atriz Carmen Salinas, de “Maria do Bairro”, morre aos 82 anos