in

Nicki Minaj: trajetória sempre relegada a segundo plano no VMA

Rainha do “feat.”, Nicki Minaj não recebeu nenhuma indicação ao VMA 2017, mesmo com tantas colaborações circulando por aí. Foram dez apenas no primeiro semestre deste ano. A rapper não foi indicada por seus clipes próprios, “No Frauds” e “Regret In Your Tears”, e tampouco por suas parcerias – como “Swalla”, “Light My Body Up” ou “Kissing Strangers”. Independente de mérito ou não, a ausência de nomeações para Nicki chama a atenção por ser uma constante a cada ano que passa. O VMA sempre a relega ao segundo plano.

Mulher com maior número de entradas na Billboard Hot 100, Nicki não deveria constar mais vezes nas listas de indicados da premiação? Entre 2010 e 2015, período em que foi nomeada, ela só recebeu nove indicações – das quais venceu apenas três – melhor vídeo hip-hop (“Super Bass” em 2011), melhor vídeo feminino (“Starships” em 2012) e melhor vídeo hip-hop (“Anaconda” em 2015). Com menos tempo de carreira, Iggy Azalea, por exemplo, também já recebeu nove indicações à premiação (incluindo clipe do ano).

Confira os clipes já premiados:

Mesmo sendo uma das pessoas que mais faz parcerias de peso no mercado, Nicki só apareceu na categoria melhor colaboração duas vezes (2011, com “Moment 4 Life”, e 2015, com “Bang Bang”), não tendo vencido nenhuma delas. Sim, ela nunca venceu a categoria que deveria ser a mais marcante de sua carreira.

Outro fato: Nicki nunca concorreu na categoria principal – clipe do ano. Em 2015, ela chegou a reclamar da falta de nomeações para “Anaconda” – seu vídeo com maior número de visualizações no Youtube. “Você não entrava nas redes sociais sem ver pessoas imitando a arte da capa, a coreografia, criando figurinos para o Halloween. Um impacto como esse e nenhuma nomeação para vídeo do ano? Quando as outras garotas lançam um clipe que quebra recordes e impacta a cultura, ganham essa indicação. Se o próximo clipe for sobre mulheres muito magras, tenho certeza que ganho um prêmio”, declarou no Twitter.

Não dá para falar em racismo ou preconceito com a cultura hip-hop de um modo geral, porque o líder de indicações ao VMA neste ano é o rapper Kendrick Lamar, concorrendo em oito categorias. Nicki, por sua vez, nunca concorreu em mais de três categorias de uma vez. Neste ano, seu nome só aparece na categoria de melhor coreografia, por “Side to Side”, clipe com Ariana Grande: mas o prêmio não iria para ela, porque não foi a coreógrafa do clipe.

Vídeos como “Hey Mama” e “Beauty and a Beat” também nunca foram indicados ao VMA – apesar da popularidade. “Hey Mama” tem mais de um bilhão de acessos no Youtube.

A grande questão é que, embora ache que Nicki Minaj não mereça prêmios, o VMA costuma inseri-la em sua lista de performances. Nos últimos três anos, ela se apresentou no palco da premiação em todas as edições: com “Anaconda” e “Bang Bang” em 2014, com “The Night Is Still Young” em 2015, e “Side to Side” em 2016. Em todas as ocasiões, performances compartilhadas – com Jessie J e Ariana Grande, Taylor Swift e, por fim, novamente Ariana.

Escrito por Leonardo Torres

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diplo comemora sucesso de “Sua Cara” no Brasil

“American Idol”: saiba quem pode se juntar a Katy Perry no painel de jurados