banner com link para rádio globo
Mariana Madjarof | Foto: Divulgação
in

“Não esperamos os briefings das marcas, vamos atrás”, conta Mariana Madjarof

Fundadora da Access Mídia, Mari está no mercado há mais de 15 anos e cuida diretamente do marketing de grandes nomes da música

O que Manu Gavassi, ANAVITÓRIA, Gustavo Mioto e Wesley Safadão tem em comum? Mariana Madjarof! Fundadora da Access Mídia, Mari está no mercado há mais de 15 anos e cuida diretamente do marketing de grandes nomes da música. Em entrevista ao POPline.Biz é Mundo da Música, a head de marketing falou sobre a transição da comunicação para um cenário que vai além da imprensa, oportunidades de crescimento da agência na pandemia, dicas de melhores práticas, planejamento e mais.

Leia mais:

A executiva revelou que, hoje, a assessoria de imprensa vai muito além da parte de comunicação do produto pronto e destacou que participar de todas as etapas da concepção do produto ajuda a criar um planejamento com caminhos mais assertivos.

“Antes, você recebia o material já finalizado e criava o planejamento a partir da estratégia pré-estabelecida pela gravadora e/ou escritório; hoje não acredito nessa comunicação separada. Acredito que todas as áreas se permeiam formando assim um produto sem falha de comunicação, com muito menos chance de erro no planejamento e com uma força muito maior no lançamento e na execução das ideias”.

Segundo ela, ao mesmo tempo que a comunicação ficou mais fácil e abrangente devido a rapidez das multiplataformas, também ficou mais delicada, pois tanto o erro quanto o acerto serão espalhados muito rápido. “Por isso acho tão importante o pré ser alinhado com todas as áreas!”, diz.

Foto: Divulgação

Desafios da comunicação

Questionada sobre quais os desafios os profissionais do setor enfrentam para criar uma estratégia assertiva, Mariana destaca que é o excesso de coisas acontecendo ao mesmo tempo. “Você precisa se destacar, precisa ter uma estratégia esperta que vá além da divulgação convencional. E cada plataforma tem um comportamento, um target, um timing, então você entender exatamente o seu público atual e o que você quer atingir com cada lançamento ou ação nas plataformas é o primeiro passo para desenvolver um planejamento para cada plataforma de acordo com seu comportamento”.

“A mesma estratégia que uso no Facebook não pode ser a mesma que uso para os streamings de música. O TikTok, por exemplo, tem um perfil de comportamento muito próprio dele. Na parte de imprensa também precisamos nos adequar as linguagens! Um veículo jovem precisa ter um approach diferente de um veículo conceitual, por exemplo! Cada estratégia de lançamento é quase uma campanha publicitária aqui na Access Mídia”, conta.

A executiva revela que para ela “toda dificuldade traz uma oportunidade”, e que a pandemia foi o momento em que a agência mais cresceu até hoje. “Nós sempre flertamos com a parte de publicidade, mas até então nunca havia pensado em trazer isso como um braço fixo, até que o Felipe Simas sugeriu que eu assumisse o comercial da F/SIMAS – empresa que já prestávamos assessoria há alguns anos, foi então que abracei a ideia e assumimos isso como um braço forte”.

Mariana destaca que não tem a intenção em ter vários artistas para cuidar do comercial, pois acredita no trabalho focado em estratégias. “O marketing para mim é algo quase ideológico. Trabalhamos com sonhos e sendo assim não conseguiríamos abraçar o mundo. Quero que os artistas ao qual cuidamos se sintam especiais, queremos realizar sonhos através de estratégias, ter metas, enfim… é um trabalho muito personalizado, por isso acredito que dê tão certo e seja tão especial”.

Mariana Madjarof e Felipe Simas | Foto: Reprodução/Instagram @marimadjarof

Conexões reais e experiências

Além do fortalecimento da imagem e alinhamento do discurso do artista, é possível notar que as marcas têm buscado estabelecer conexões reais e experiências. Mas, como buscar oportunidades para os artistas do casting? Mariana responde:

“Temos clientes com perfis muito diferentes como Wesley Safadão, Gustavo Mioto, Roupa Nova, Manu Gavassi e Anavitória, por isso não podemos trabalhar da mesma maneira com todos. Além disso, antes de serem artistas são pessoas que como qualquer outra que tem dias ruins, sofrem, sentem alegria, ansiedade, tristeza, se emocionam, por isso temos uma relação muito próxima e de muita confiança com eles”.

E completa: “Tem artistas que estou há tanto tempo que só de me olhar já sei o que ele está sentindo! Graças a Deus, os artistas costumam ficar muitos anos! Tem artistas que estão há mais de 10 anos com a gente! Existe uma troca de vida muito grande, porque às vezes passamos mais tempo no trabalho do que com nossa família”.

A primeira grande ação com a marca que a Marina destaca foi com Burger King e Melanie C. “Hoje não esperamos os briefings das marcas, vamos atrás, criamos projetos“, conta. Mariana revela que as marcas querem muito mais que seguidores ou engajamento, querem identificação, pessoas que tenham discurso, personalidade.

“Hoje o que está em alta é a verdade. O público sente, as marcas querem e a conexão é feita! Simples assim! Às vezes as marcas ou agências mandam os briefings e nós pedimos que os nossos artistas tenham liberdade para colocar sua identidade naquela ação!”, destaca.

Ela conta que com Wesley Safadão, por exemplo, quando tem alguma ação, existe um cuidado em deixar com a cara, alegria e energia dele. Já no caso da Manu, na maioria das vezes, ela cria tudo, desde a estética, roteiro, cortes e a produção geralmente é feita de maneira interna pela F/SIMAS.

Mariana Madjarof e Mani Gavassi | Foto: Reprodução/Instagram @marimadjarof

“O Gustavo também é um menino muito criativo e extremamente talentoso, então é impossível se adequar em um briefing sem transparecer sua personalidade, enfim, acho que é um trabalho a quatro mãos mesmo! As agências e marcas adoram quando sentem o artista envolvido, dando opinião, vestindo a camisa! Só nos associamos com marcas que façam sentido para cada artista”, finaliza.

Escrito por Rafa Ventura

É hoje! Gloria Groove e Vintage Culture no Festival Castro, em São Paulo

“As It Was” dá a Harry Styles o recorde de streams entre cantores solo no Spotify