Foto: Divulgação
in

Montreux Jazz Festival e BMG anunciam coletânea e série documental

O Montreux Jazz Festival e a BMG anunciaram uma parceria global multifacetada. O acordo inclui o lançamento de uma nova série de coleção, The Montreux Years, e uma série documental em três partes celebrando a história do festival de música.

The Montreux Years revela performances lendárias dos artistas mais icônicos do mundo ao lado de gravações raras e nunca antes lançadas da rica história de 55 anos do festival, remasterizadas em áudio superlativo. Os lançamentos serão acompanhados por encarte exclusivo e fotografias inéditas.

As gravações são retiradas da extensa coleção de material audiovisual do fundador Claude Nobs (Montreux Sounds). Todos os detalhes dos primeiros álbuns da série serão anunciados em abril. “O Montreux Jazz Festival sempre foi uma vitrine líder para a cena musical internacional, bem como um ponto de encontro para músicos e amantes da música”, revela Thierry Amsallem, Presidente da Claude Nobs Foundation.

“A magia de Montreux está nos encontros entre músicos. Foram eventos únicos que nunca se repetirão. A ideia sempre foi permitir que os artistas saíssem da trilha batida e evitar a repetição de seu repertório usual. Aqui, nós os tratamos como reis e oferecemos a eles as melhores condições do mundo, em termos de qualidade de som e tecnologia de gravação audiovisual”, completa Thierry.

A Montreux Media Ventures, subsidiária de mídia do lendário Montreux Jazz Festival, BMG, e Beyond TNC também estão programadas para produzir uma série documental de três partes que celebra a história do festival de música e a vida de seu inspirador fundador e criador, Claude Nobs. Swiss Public Broadcaster, RTS, também está a bordo como parceiro de co-produção.

Para o CEO da Montreux Media Ventures, Nicolas Bonard, todos deveriam ter a oportunidade de experimentar essas apresentações musicais históricas e culturalmente significativas. “Por meio do trabalho de preservação da Fundação Claude Nobs, esperamos trazer um pouco da magia de Montreux diretamente para fãs de todo o mundo”, revela.

Documentário

Intitulado provisoriamente de “They All Came Down to Montreux”, seguirá a história desde os primeiros dias do festival até a morte prematura de Claude, em 2013. Incluirá material nunca lançado e entrevistas raras com artistas como Jack White, Carlos Santana, Quincy Jones, George Benson e Questlove, e muitas das apresentações mais icônicas que capturam a rica história do festival. O Festival de Cinema de Zurique 2021 receberá a estreia mundial da versão cinematográfica do documentário.

“O Montreux Jazz Festival é uma instituição musical. De Nina Simone e Etta James a Dua Lipa, lendas do jazz e ícones do pop homenagearam o palco de Montreux com suas apresentações ao longo dos últimos 55 anos. Essa parceria leva espectadores e ouvintes em uma jornada íntima no tempo, olhando os bastidores do lendário festival. Juntando uma homenagem detalhada, este é um projeto único com a rara oportunidade de usar imagens de áudio e audiovisual da mais alta qualidade”, conta Peter Stack, EVP da BMG Global Catalog Recordings.

A série de documentários em três partes é dirigida pelo especialista em arquivos Oliver Murray, cujos lançamentos recentes incluem o documentário Ronnie’s, aclamado pela crítica. É co-produzido e co-financiado pela BMG e Beyond TNC, em associação com a Orofena Films. A distribuição é feita por meio da conceituada empresa norte-americana Submarine.

Oliver Murray afirma que “não poderia estar mais animado e honrado em trazer a história de Claude para a tela. A posição do festival na indústria musical torna esta uma oportunidade única, e nós ficamos maravilhados com a resposta positiva da comunidade de artistas ao projeto. Precisamos nos lembrar de pessoas como Claude; são os visionários e os rebeldes que tornam o mundo um lugar melhor e mais interessante”.

O documentário é o projeto mais recente da linha de rápido crescimento da BMG de filmes e projetos de televisão relacionados à música, incluindo “David Crosby: Remember My Name”, o documentário de Joan Jett, “Bad Reputation: The Show’s The Thing”, um filme sobre lendários promotores de shows e os primeiros dias da indústria da música ao vivo, “Rudeboy: The Story of Trojan Records” e “Echo In The Canyon” – um dos documentários de maior bilheteria de 2019.

Em tempo…

O Rio Montreux Jazz Festival que aconteceu em outubro de 2020, de forma online por causa da pademia do coronavírus, apresentou nomes como Macy Gray, Christian Scot Atunde Adjuah, Milton Nascimento com Sing Harlem, Samuel Rosa e Maria Gadú, A Cor do Som, João Donato, Roberto Menescal, Letieres Leite & Orkestra Rumpilezz, Toquinho e Yamandu Costa, Hamilton de Holanda e Amaro Freitas, entre outros.

Com apresentação de Zeca Camargo, o evento foi transmitido gratuitamente e na íntegra pelo canal do YouTube, alcançando mais de 130 mil pessoas nos dois primeiros dias.

Confira um trecho do show de A Cor do Som:

Escrito por Rafa Ventura

“Não vi maldade”, diz Sarah a Rodolffo sobre piada com Fiuk no BBB

Dua Lipa cantará em festa virtual pré-Oscar do Elton John

Dua Lipa cantará em festa virtual pré-Oscar do Elton John