(Foto: Reprodução Extra)
in ,

Mãe de Douglas Souza condena ataques homofóbicos: “Sempre tem uma piadinha”

Elizângela Salles falou sobre a sexualidade do filho e relembrou as dificuldades durante as Olimpíadas de 2016

A mãe de Douglas Souza, que nos últimos dias tem conquistado o apoio de milhares de brasileiros nas redes sociais, falou sobre sexualidade e ataques já enfrentados pelo filho ao longo da carreira como atleta LGBTQIA+. Ponteiro da seleção de vôlei, ele defenderá o Brasil nas Olimpíadas de Tóquio.

(Foto: Reprodução Extra)

Ao jornal Extra, Elizângela Salles conta que nas Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro, Douglas foi alvo de críticas e sofreu preconceito mesmo tendo ficado no banco durante as competições.

“Ele não tinha me contado ainda [que era gay], mas sou mãe, já sabia. Quando percebi os ataques e o vi muito tristonho, escrevi para ele, dizendo que era para se jogar, se divertir, pois não sabia se era a primeira e última Olimpíada. Que o fato de ser gay não diminuiria todo o sacrifício que ele fez para estar onde estava e que não fazia a menor diferença para mim. Depois disso, ele abriu um sorrisão”.

A sexualidade de Douglas foi aceita dentro de casa tanto por ela, como pelo pai. “Meu marido também é super aberto. Jamais seria um problema para nós dois. Pelo contrário. Acho que passamos a dar ainda mais apoio“.

LEIA MAIS: Douglas Souza declara ser fã do BTS, BLACKPINK e Now United

Elizângela relembra que foi uma caminhada longa para proporcionar ao filho todas as oportunidades para seguir na carreira de atleta. Ela chegou a ter três empregos quando Douglas tinha 14 anos e começou a jogar no Pinheiros.

“Como ele costuma dizer, quem vê close, não vê corre. Sei de todos os sacrifícios que fizemos. Inclusive o de ficar longe”.

A correria, de acordo com Elizângela, só aumentou com o tempo. Isso porque é ela quem cuida dos assuntos do filho, mas salientou que a única coisa que realmente a tira do sério é ter que lidar com piadas que envolvem a sexualidade de Douglas.

“A única coisa que me faz sair do sério é ver as pessoas atacarem meu filho por ser gay. Se ele fica no banco ou o time perde, tem sempre um para fazer uma piadinha. Nunca foi fácil para ele. na verdade é duas vezes mais difícil. Ele está entre os 12 que foram convocados. É o único que representa a comunidade LGBT ali. Não é fácil. Então, quando vejo alguém ofendendo eu dou umas xingadas. Douglas não gosta que eu faça isso. Mas sou mãe, né?”, completou.

Curtiu esta matéria? Clique aqui para ler mais conteúdos do Oh My God! by POPline. Tem listas, curiosidades, virais, celebs, k-pop, reality shows e muito mais sobre cultura pop!

Escrito por Carolina Stramasso

Metallica se a une a Vans em nova coleção inpirada no “Black Album”

Tati Quebra Barraco participa do “Jojo Nove e Meia” desta quinta (22)