in ,

Lauren Jauregui fala de parceria com Tainy e processo de criação do primeiro álbum solo no Grammy Latino

Lauren Jauregui tem descendência cubana e esteve no Grammy Latino na noite desta quinta-feira (14) para prestigiar os 20 anos da premiação. No tapete vermelho, a cantora conversou com alguns jornalistas e, claro, foi indagada sobre seu primeiro álbum solo aguardado para 2020.

Lauren Jauregui e Sebastian Yatra no Grammy Latino / Fotos: Getty Images (uso autorizado POPline)

Para a Univision do Canadá, Lauren revelou que está trabalhando com Tainy em estúdio e a colaboração vai sair ano que vem. “Há vários ‘níveis’ da minha personalidade no geral, eu cresci em uma casa que falava ‘espanglês’, uma casa cubana-americana então naturalmente isso está envolvido no meu processo de composição. Também estou trabalhando com o Tainy, um produtor incrível, então há algumas músicas saindo em 2020. Um grande amigo, talentoso, muito orgulhosa dele”, disse.

Perguntada sobre suas influências, Lauren citou Juanes, Celia Cruz, Rosalía, Shakira e Ricky Martin e depois de mandar um “grupos não mais”, respondeu sorridente à pergunta da repórter sobre uma possível girlband latina. As escolhidas seriam Becky G, Natti Natasha e Karol G.

Para o Entertainment Tonight, a cantora disse que está ansiosa para liberar o novo material. “O álbum está indo bem. Estou muito mergulhada no processo criativo, me descobrindo [como artista] e trabalhando nisso. Claro que estou ansiosa para compartilhar parte do meu trabalho porque estou muito animada com o que estou fazendo, mas ao mesmo tempo estou aproveitando o processo. Estou curtindo ir com calma e [este álbum] me representa e cada palavra, cada melodia e cada som é exatamente o que precisa ser”, comentou.

Lauren ainda disse que adoraria colaborar com o Bad Bunny. “Avisem a ele. Acho que nossas vozes soariam loucas juntas”, revelou. Assista aqui.

Escrito por Amanda Faia

“Fames”: ZAYN está em música do produtor R3hab

Big Machine desmente Taylor Swift e ainda acusa a cantora de ser calculista: “a narrativa que você criou não existe”