in

“Lady Gaga é nada menos que a melhor cantora da Terra”, diz jornal americano

Lady Gaga ganhou uma matéria de destaque no jornal Tampa Bay Times, um dos maiores da região de Tampa Bay, na Flórida, nos Estados Unidos. A reportagem já começa chamando-a de “melhor performer ao vivo do pop” e, lá para o meio, define a artista como “nada menos que a melhor cantora da Terra”. O texto enaltecendo Gaga tem motivo: ela chega com a “Joanne World Tour” em Tampa na sexta (1º/12) para um showzão na Amalie Arena, que teve ingressos esgotados em um piscar de olhos.

A reportagem se antecipa aos questionamentos que alguns fãs de pop podem fazer: “Você pergunta, melhor que Beyoncé? Melhor que Adele e Bruno Mars e Chance the Rapper e Bruce Springsteen? Sim. Ela é. Ela tem provado isso o tempo todo na sua ainda jovem carreira, e ela já provou isso nos maiores palcos. No Super Bowl. No Oscar. No Grammy. No MTV Video Music Awards. Seus colegas também tocaram nesses palcos e muitos arrasaram. Mas não como Gaga. O show dela no Amalie Arena na sexta esgotou praticamente no dia que começou a vender e não foi por causa de algum vestido de carne ou o vestido de bolhas ou pelo ovo. Foi por causa das performances dela ao vivo, especialmente aquelas de alto nível de controle e intensidade, que são as obras primas para viver e respirar talento artístico”.

Lady Gaga está em um bom momento profissional. O documentário “Gaga: Five Foot Two”, no geral, foi bem recebido. Seu show no Super Bowl teve recorde de indicações ao Emmy Awards. E, nesta semana, ela recebeu mais duas indicações ao Grammy Awards: melhor álbum pop vocal (“Joanne”) e melhor performance pop solo (“Million Reasons”). Além disso, a artista já está com o remake do filme musical “Nasce Uma Estrela” gravado: a estreia será em 2018.

Escrito por Leonardo Torres

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Integrantes do Girls Aloud celebram o aniversário de 15 anos de formação do grupo

Anitta quer se preparar para pausa na carreira daqui a cinco anos