in

Kesha explica “Hymn”, sua nova música: “é dedicada a qualquer pessoa que sinta que não é compreendida pelo mundo”

Nesta quinta-feira (03) Kesha divulgou a quarta música inédita do seu novo álbum, o “Rainbow”. Como todas as outras, a canção vem cheia de significados. Dessa vez, ela falou sobre a atual situação política mundial e todas aquelas pessoas que reúnem forças para um objetivo maior.

“Eu acho que nunca houve um momento mais importante para os sonhadores serem abertos sobre suas crenças”, ela escreve em carta aberta. “Eu me lembro de quando fui às ruas no ano passado, algo que me fez refletir sobre como me sinto sobre certos assuntos e me inspirou os versos: ‘Depois de tudo por que passamos, não / Não vamos ficar parados e saudar / Seguimos dirigindo, passeando / Vivendo como se não houvesse nada a perder / Se morrermos antes de acordarmos / Não haverá erro em dizer quem somos / É a forma como somos feitos'”.

Ela continua dizendo que “Hymn” foi feita inspirada no ativismo que vimos nos últimos meses e na força daqueles que levantam a voz em nome das causas em que acreditam.

“Esta música é dedicada a todas as pessoas idealistas ao redor do mundo que se recusam a dar as costas ao progresso, ao amor e à igualdade sempre que são desafiados. É dedicada às pessoas que saíram pelas ruas em todo o mundo para protestar contra o racismo, o ódio e a divisão de qualquer tipo. Também é dedicada a qualquer pessoa que sinta que não é compreendida pelo mundo ou que não é respeitada exatamente por quem é. É uma canção de esperança sobre todas essas pessoas – eu me considero uma de vocês – e o poder que todos nós temos quando todos nos juntamos”.

O “Rainbow” será liberado no dia 11 de agosto.

Escrito por Caian Nunes

Claudia Leitte ganha destaque na Billboard americana: “ela vai deixar o verão ainda mais quente”

Escute “Baldin de Gelo”, novo single da Claudia Leitte