(Foto: Reprodução Internet)
in ,

K-Pop: Kris Wu, ex-integrante do EXO, nega acusações de estupro

Artista de 30 anos ainda teve seu nome envolvido em alegações de sexo com menores de idade

Kris Wu, que iniciou a carreira no EXO, se defendeu das acusações de abuso sexual feitas por uma jovem de 19 anos chamada Du Meizhu. Ela alega ter sido estuprada pelo artista chinês de 30 anos em 2019.

(Foto: Reprodução Internet)

Em uma entrevista a um site de notícias chinês, conforme noticiado pelo Koreaboo, Du Meizhu acusou Kris Wu de tê-la estuprado quando tinha 17. Ela ainda afirmou que o artista praticou sexo com ao menos outras sete garotas menores de idade, seduzindo-as com álcool e promessas de fama, e disse que as provas das alegações dela e de outras vítimas serão entregues para a polícia.

Kris Wu, por sua vez, negou as acusações através de uma publicação na plataforma chinesa Weibo: “Eu não respondi antes porque não queria interromper o processo legal, mas não imaginava que meu silêncio aceleraria este rumor. Não posso mais suportar isso. Cheguei a um ponto que não posso mais aguentar as pessoas criando rumores”.

“Nada de sedução para o sexo! Nada de drogar para estuprar! Sem menores de idade! […] Eu apenas encontrei a senhorita Du uma vez, em uma reunião de amigos no dia 5 de dezembro. Eu nunca a fiz beber álcool ou pedi seu número de telefone. Haviam muitas pessoas na festa. E nunca ‘coagi mulheres a fazerem sexo’ ou me envolvi em ‘estupro’. O mesmo se aplica às [alegações sobre] meninas menores de idade. Se eu tiver feito algo assim, vou me entregar à prisão. Eu assumirei legalmente a responsabilidade por minhas palavras aqui“.

O estúdio de Kris afirmou que tomará as medidas legais contra as alegações, mas toda polêmica já repercutiu negativamente na carreira do artista. Após as acusações, a marca de produtos para cuidados com a pele Kans, a plataforma de streaming Yunting, a grife Louis Vuitton e a empresa de detergentes Libai informaram que iriam encerrar suas parcerias.

Kris Wu ganhou fama por debutar com o EXO pela SM Entertainment em 2012. Inicialmente ele começou como líder do sub-grupo chinês EXO-M, mas depois da fusão se reuniu com os outros integrantes sul-coreanos, formando um grupo só de 12 membros.

O vínculo, no entanto, só durou até 2014, quando ele abriu um processo judicial contra a agência para terminar seu contrato, declarando violação dos direitos humanos como o motivo principal.

Curtiu esta matéria? Clique aqui para ler mais conteúdos do Oh My God! by POPline. Tem listas, curiosidades, virais, celebs, k-pop, reality shows e muito mais sobre cultura pop!

Escrito por Carolina Stramasso

Coldplay anuncia “Music Of The Spheres” para outubro

Now United lança produto colecionável com a Rexona

Now United no Brasil: grupo se despede da ilha privada