Connect with us

Yeah! +POPline

Justin Bieber comemora vitória no Juno Awards

“Nós – não eu – vencemos o Juno! #ILoveMyBeliebers #ThankYou”, twittou.

Published

on

O cantor Justin Bieber conseguiu duas vitórias no Juno Awards, famosa premiação canadense, e usou o Twitter para agradecer os votos das fãs. “Nós – não eu – vencemos o Juno! #ILoveMyBeliebers #ThankYou”, twittou.

Ele venceu a categoria “Juno Fan Choice Award” – algo como “escolha do público”, voto popular – derrotando, entre outros, Avril Lavigne, Arcade Fire, Drake, Nickelback e Michael Bublé.

Entre os outros vencedores se destacam Adele, cujo CD “21” foi eleito o melhor disco internacional do ano, e Drake, que venceu a categoria “Melhor Gravação de Rap” com a música “Take Care”. O adiado clipe deve sair em breve.

Lista Completa de Vencedores

Juno Fan Choice Award: Justin Bieber
Single do Ano: The Sheepdogs – “I Don’t Know”
Álbum Internacional do Ano: Adele – “21”
Álbum do Ano: Michael Bublé – “Christmas”
Artista do Ano: Feist
Grupo do Ano: Arkelss
Revelação do Ano: Dan Mangan
Grupo Revelação do Ano: The Sheepdogs
Compositor do Ano: Dallas Green – “Fragile Bird”, “We Found Each Other”, “Weightless”
Álbum Country do Ano: Terri Clark – “Roots and Wings”
Álbum Alternativo Adulto do Ano: Feist – “Metals”
Álbum Alternativo do Ano: Dan Mangan – “Oh Fortune”
Álbum Pop do Ano: Hedley – “Storms”
Álbum Rock do Ano: The Sheepdogs – “Learn & Burn”
Álbum de Vocalista Jazz do Ano: Sonia Johnson – “Le Carré de nos Amours”
Álbum de Jazz Contemporâneo do Ano: Phil Dwyer Orchestra feat. Mark Fewer – “Changing Seasons”
Álbum de Jazz Tradicional do Ano: David Braid – “Verge”
Álbum Instrumental do Ano: Stretch Orchestra – “Strech Orchestra”
Álbum em Francês do Ano: Malajube – “La Caverne”
Álbum Infantil do Ano; Charlie Hope – “Songs, Stories and Friends: Let’s Go Play”
Álbum Clássico do Ano (Solo): Marc-André Hamelin – “Liszt Piano Sonata”
Álbum Clássico do Ano (Grupo): Alexandre Da Costa/Orchestre Symphonique de Montréal – “Daugherty: Fire and Blood”
Álbum Clássico do Ano (Vocal ou Coro): Jane Archibald; Orchestre Symphonique Bienne; Thomas Rosner – “Haydn Arias”
Composição Clássica do Ano: Derek Charke – “Sepia Fragments”
Gravação Rap do Ano: Drake – “Take Care”
Gravação Dance do Ano: Martin Solveig & Dragonette – “Hello”
Gravação R&B/Soul do Ano: Melanie Fiona – “Gone and Never Coming Back”
Gravação Reggae do Ano: Exco Levi – “Bleaching Shop”
Álbum Aborígene do Ano: Murray Porter – “Songs Live & Life Played”
Álbum de Raiz e Tradicional do Ano (Solo): Bruce Cockburn – “Small Source of Comfort”
Álbum de Raiz e Tradicional do Ano (Grupo): The Wailin’ Jennys – “Bright Morning Stars”
Álbum Blues do Ano: MonkeyJunk – “To Behold”
Álbum Gospel do Ano: Downhere – “On the Altar of Love”
Álbum de Música Mundial do Ano: Kiran Ahluwalia – “Aam Zameen: Common Ground”
Prêmio Jack Richardson de Produção: Brian Howes (co-produtor do Nickelback)
Engenheiro de Som do Ano: George Seara
Vídeo do Ano: The Sadies – “Rumbleseat”
DVD do Ano: Feist – “Feist: Look at What the Light Did Now”
Álbum Eletrônico do Ano: Tim Hecker – “Ravedeath, 1972”
Álbum Metal/Hard do Ano: Ken mode – “Venerable”

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



POPline Mix




Ranking