Johnny Rotten perde processo sobre músicas dos Sex Pistols em série de TV (Foto: Martin Schoeller/GQ)
in ,

Johnny Rotten perde processo sobre músicas dos Sex Pistols em série de TV

Acordo assinado entre os integrantes em 1998 dá poder de decisão por “maioria de votos”

John Lydon, também conhecido como Johnny Rotten, perdeu uma batalha judicial no Reino Unido para impedir que as músicas dos Sex Pistols fossem usadas em uma série dramática da FX TV sobre o lendário grupo punk britânico. O ex-baterista do Pistols Paul Cook e o guitarrista Steve Jones deram permissão para que o catálogo fosse utilizado no programa dirigido pelo vencedor do Oscar Danny Boyle, mas o antigo vocalista tentou impedí-lo.

Foto: Reprodução de internet

Lydon, de 65 anos, argumentou que ele, junto com os outros fundadores do grupo, têm o direito de vetar a forma como sua música é explorada. Entretanto, Cook e Jones o processaram, citando um “Acordo de Membros da Banda” (BMA) assinado por todas as partes em 1998 que diz que as decisões de licenciamento podem ser tomadas por maioria de votos. Sua afirmação foi apoiada pelo baixista original do Sex Pistols, Glen Matlock, e pelo espólio de Sid Vicious, que substituiu Matlock em 1977.

Em uma decisão na segunda-feira (23) no Supremo Tribunal de Justiça, Sir Anthony Mann, o juiz no caso, considerou que os termos da BMA eram válidos e os requerentes (Cook e Jones) “tinham o direito de invocar a maioria regras de votação em relação ao uso do material do Sex Pistols”.

Em uma declaração conjunta, Cook e Jones saudaram a decisão do tribunal após audiência de uma semana em Londres, dizendo que “traz clareza à nossa tomada de decisão” e defende o acordo dos membros da banda sobre a tomada de decisão coletiva. “Não foi uma experiência agradável, mas acreditamos que foi necessário para nos permitir seguir em frente e, esperamos, trabalhar juntos no futuro com melhores relações”, disseram os músicos.

Isolado, Lydon testemunhou no julgamento e comparou o acordo dos membros da banda de 1998 com “tornar-se prisioneiro de uma maioria hostil” e “algum tipo de trabalho escravo”. Porém, ainda não respondeu a imprensa após a derrota na Justiça.

De acordo com as provas apresentadas no Tribunal Superior, a BMA foi elaborada no final da década de 1990, motivada pelo desejo de Lydon de vender suas participações editoriais norte-americanas para a BMG. Antes que um acordo pudesse ser fechado, a BMG solicitou uma “carta de conforto” dos outros membros sobreviventes da banda (e representantes do espólio de Sid Vicious), confirmando que eles não tinham reivindicações afetando os direitos.

A partir disto, os membros da banda assinaram a carta com a condição de que um acordo foi assinado por todas as partes estabelecendo direitos de voto por maioria em questões de licenciamento.

A série de TV em seis partes no centro da disputa é baseada no livro de memórias de Jones “Lonely Boy: Tales From A Sex Pistol” (2016), e deve ser lançada no próximo ano pela Disney para sua rede FX. Vale lembrar que Danny Boyle é o prestigiado diretor por trás de filmes como Trainspotting e Quem Quer Ser um Milionário?.

Interpretando os integrantes da banda estarão Toby Wallace (The Society) como Jones, Anson Boon (Predadores Assassinos) como Rotten, Fabien Frankel (The Serpent) como Matlock, Louis Partridge (Enola Holmes) como Sid Vicious e o ator de primeira viagem Jacob Slater como Cook.

Escrito por Daiv Santos

desapontada

Normani fala que não vai cantar no VMA: “estou desapontada’

piada engraçada da Lorde

Lorde terá seu próprio programa de TV? É só brincadeirinha!