John Mayer sobre documentário da Britney: "quase chorei"
(Foto: Reprodução / Instagram @johnmayer)
in ,

John Mayer sobre documentário da Britney: “quase chorei”

“Ver a tristeza neste ser humano… fiquei à beira das lágrimas cinco vezes”, diz.

John Mayer contou que assistiu ao documentário “Framing Britney Spears”, criado pelo The New York Times, e ficou muito tocado. O filme trata da tutela da cantora, sob responsabilidade do pai desde que ela teve um colapso mental em 2007. “Eu quase chorei cinco vezes assistindo. Ver a tristeza neste ser humano… fiquei à beira das lágrimas cinco vezes”, disse.

John Mayer sobre documentário da Britney: "quase chorei"
(Foto: Reprodução / Instagram @johnmayer)

O filme fez o cantor reavaliar sua própria carreira e também a indústria da música e do entretenimento. “Eu me saí bem. Tenho um sentimento muito forte de que parte disso é porque sou homem. E tenho um sentimento muito forte de que muitas dessas coisas que acontecem com as mulheres são endêmicas ao sexo feminino”, comentou em entrevista a Andy Cohen.

“Por que tantos homens aparecem dizendo ‘aprendi minha lição, baby. Sim, levei uma pancada na cabeça, mas estou de volta’? Eu assisti com muita bondade com alguém que ficou muito mais difamada pelo experimento desumano da fama do que eu. Por que superei isso? Porque encontrei meu caminho através da pista de obstáculos? O que foi oferecido a mim estilisticamente? A diferença estilística de ser um fora da lei”, completou.

Para John Mayer, esse é o ponto. “Se você é um homem em Hollywood, você é um fora da lei. Se você é uma mulher, você é louca. Quando assisti por essa lente, meu coração doeu o tempo todo”, contou.

John Mayer sobre documentário da Britney: "quase chorei"
(Foto: Divulgação)

Justin Timberlake posta carta aberta e pede desculpas a Britney Spears e Janet Jackson

Justin Timberlake ouviu seu público e atendeu os pedidos para se pronunciar sobre Britney Spears. O cantor vinha sendo procurado pelos fãs desde que o jornal The New York Times lançou o documentário “Framing Britney Spears”, sobre a tutela da ex-namorada dele. Diante da repercussão, ele divulgou uma carta aberta.

(Foto: Getty Images / Uso autorizado POPline)

Leia a carta aberta na íntegra:

“Eu tenho visto as mensagens, as tags, os comentários e preocupações. Quero responder. Eu lamento profundamente pelas vezes na minha vida em que minhas ações contribuíram para o problema, quando falei demais ou quando não falei pelo que era certo. Eu entendo que fiquei aquém nesses momentos, e em muitos outros, e me beneficiei de um sistema conivente com misoginia e racismo.

Eu quero me desculpar especificamente com Britney Spears e Janet Jackson individualmente, porque eu me preocupo e respeito essas mulheres. E sei que falhei.

Também me sinto compelido a responder, em parte, porque todos envolvidos merecem melhor e, mais importante, porque essa é uma conversa da qual eu quero fazer parte e amadurecer com ela, com todo o coração…

A indústria é imperfeita. Ela define homens, especialmente homens brancos, para o sucesso. É estruturada desta maneira. Como homem em uma posição privilegiada, tenho que falar sobre isso. Por toda minha ignorância, eu não reconheci isso enquanto estava acontecendo na minha própria vida, mas não quero me beneficiar de outras pessoas sendo puxadas para baixo de novo.

Eu não tenho sido perfeito ao navegar por tudo isso na minha carreira. Eu sei que esse pedido de desculpas é um primeiro passo e não absolve o passado. Eu quero assumir a responsabilidade por meus passos em falso, assim como ser parte de um mundo que eleva e apoia.

Eu me importo profundamente com o bem-estar das pessoas que amo e amei. Eu posso fazer melhor e vou fazer melhor.”

Escrito por Leonardo Torres

Aprovados! Coldplay reage em coreano a cover feito pelo BTS

Vendas do Daft Punk sobem 2.650% após anúncio do rompimento