in

IZA rebate Emílio Surita e dá aula de feminismo em programa de rádio

Promovendo o single “Dona de Mim”, a cantora IZA esteve no programa “Pânico”, da Jovem Pan, nesta sexta (5/10) e tratou de feminismo e empoderamento feminino. Ela teve que dar uma aula básica para o líder do programa, o locutor Emílio Surita, quando ele perguntou se o movimento feminista não acabaria “jogando homem contra mulher”. “Eu não aguento mais explicar isso! Feminismo não é sobre ser contra homens!”, disse a artista, “feminismo é você não lutar não só por direitos, mas por deveres iguais também. É isso”.

IZA destacou que há um grande mal-entendido sobre o significado do termo. Muitos homens pensam que as feministas são “mulheres muito loucas”. “Desde quando falar sobre uma coisa tão séria quanto assédio pode colocar homem contra mulher?”, posicionou-se. Emílio, então, tentou consertar e disse que, na Internet, existe uma guerrinha com posts radicais. IZA foi enfática: “tem pessoas que nunca deveriam ter redes sociais. De qualquer forma, a gente pode achar que estamos repetitivos – e estamos. A gente sempre fica falando muito das mesmas coisas, principalmente nas redes sociais,que ficam se retroalimentando: aquilo que você gosta de ver, você vê várias vezes ao longo do dia. Você fica recebendo mais aquele conteúdo ao longo do dia. Mas o que eu acho importante é que se fale. A gente precisa falar”.

Na entrevista, ela também disse que acha um saco jogarem mulheres contra mulheres. Questionada sobre uma possível rivalidade com Ludmilla, IZA declarou: “não favorece em nada pra gente… Isso só favorece a mídia… Ninguém liga pra saber o que Lucas Lucco acha do Luan Santana”.

Não acabou por aí. Emílio Surita perguntou se realmente existe algum empoderamento em Beyoncé e Rihanna: “é o quê? Dançar? Fazer aquelas danças lá, que é tudo mulher e tal? Eu não consigo entender isso. Onde é que está esse empoderamento?”. IZA teve que explicar:

– Não é questão de fazer dança, sabe? É questão de fazer coisas que você sempre quis fazer – pelo menos é assim que eu entendo – falar coisas que você sempre quis falar, independente das outras pessoas estarem fazendo a mesma coisa que você ou não. Eu acho que é você entender que não precisa seguir tendência. É você entender que é único e que a sua unicidade vende também. – disse.

Escrito por Leonardo Torres

Estado de saúde de Deise Cipriano piora e vocalista do Fat Family respira com ajuda de aparelhos

Rodrigo Lombardi, cantor? Ator estreia na música “Pátria Amada”, da banda Malta com participação de Carlinhos Brown