in ,

Ivete Sangalo fala sobre possibilidade do Carnaval em julho: “para mim, qualquer hora vai ser boa”

Ivete Sangalo foi uma das convidadas do OtaLab, programa de variedades de Otaviano Costa, no canal do Uol, no YouTube. A cantora falou, entre outros assuntos, sobre a sua participação no Carnaval de Salvador, que corre o risco de ser adiado para julho por causa da pandemia do coronavírus.

Ivete Sangalo fala de sua participação no Carnaval de Salvador caso ele mude para julho de 2021 (Foto: Reprodução)

A baiana deixou claro que nenhuma decisão foi tomada ainda em relação à festa, mas não descartou sua presença caso a folia seja realizada mesmo no segundo semestre.

“Existe uma ideia de que o carnaval seja deslocado da data original para uma data mais à frente. A primeira ideia é de que seja em julho, mas lhe garanto, aqui, que isso não foi batido o martelo, para não sermos, assim, levianos de levantar uma ideia que não está definida. Mas cê sabe que, para mim, Carnaval qualquer hora vai ser boa”, disse.

Primeiro show pós pandemia

Questionada por uma fã, Ivete também falou sobre a expectativa para o primeiro show pós pandemia. Ela não revelou o local onde a apresentação será realizada, mas disse que, com certeza, o show não terá hora para acabar.

“Débora [a fã que mandou a pergunta] sabe o meu tesão de subir no palco. Não tem um show em que o produtor, Toinho, não faça assim para mim”, disse Ivete apontando o dedo para o pulso, como se estivesse controlando o tempo em um relógio. “Isso para mim é o maior significado do prazer que eu tenho de estar em cima do palco”, completou.

A cantora comentou que espera que a festa seja uma celebração de uma solução em relação ao surto de coronavírus.

“Eu espero que seja uma celebração de uma solução que chegue logo para nós, para sairmos desse tempo de insegurança, de dúvidas, e que a gente possa não ter uma referência de tempo para gente ficar lá até…”.

Próximos projetos

Durante o papo, Ivete também falou sobre seu processo criativo durante a quarentena e a ideia de lançar um novo álbum de estúdio.

“Na pandemia, eu tomei uma decisão. Como eu não ia ter como viabilizar idas ao estúdio, eu tive a ideia de alugar a casa do lado da minha e trouxe meu produtor junto com a família e começamos a produzir. A gente tem feito vários trabalhos”, contou.

Desde depois de “O Mundo Vai”, música do Carnaval 2020, a cantora disse que passou a produzir em casa e lançar músicas à que vão ficando prontas.

“Eu lancei “Localizei”, lançamos um EP de São João, por causa da festa de São João. Vamos lançar algumas outras músicas. Inclusive esse mês que entra tem a música com Emicida. Estamos produzindo muita coisa”, falou.

Ela disse que, apesar de gostar muito da ideia de um álbum de estúdio, ela preferiu “de uma forma muito natural e relaxada” produzir ao bel prazer. “Isso tem funcionado muito. Eu estou compondo, fazendo parceria com outros artistas, isso de uma forma muito tranquila. Acho que nos últimos dois anos eu não lancei tanta música quanto nessa quarentena”, afirmou.

“A gente tem construído discos, potencializando o lançamento dessas canções. Quando a gente lança um disco, são trabalhadas duas tres canções. Hoje é um modus operando diferente. A gente tem lançado músicas que vão nutrindo a minha necessidade como artista a necessidade do público de ouvir coisa nova”.

Sexo e relacionamento

A estrela baiana também deu detalhes de sua vida a dois com o marido, o nutricionista Daniel Cady. Segundo Ivete, mesmo na pandemia, a individualidade é um fator importante para manter o casamento em paz. “A pandemia é um momento inédito na vida de todo mundo. A criatividade tem que existir na criação de acordos no que é comum aos dois. Embora estejamos no mesmo lugar é preciso que cada um tenha seu canto. Isso é essencial para saúde de um relacionamento”.

Ela também revelou que a quarentena tem mexido com a rotina sexual do casal, mas que, ainda assim, as noites tem sido apimentadas.

Na quarentena, a frequência do sexo ela é outra, por que existem outras prioridades, outras frentes, mas quando rola tem que ser caceteiro, garantir. Demora ali um pouquinho, mas na hora que a casa cai é pedaço de madeira para todo lado.

Escrito por Victor Arris

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

“GRIFF”: Álbum com 33 participações do WC No Beat ganha capa conceitual!

“GRIFF”: Novo álbum do WC no Beat traz Anitta, Ludmilla, MC Rebecca e mais 30 participações

Escute ao podcast do POPline na FM O Dia com lançamentos de Manu Gavassi, Carol Biazin, Luan, KATZ, WC No Beat e mais!