in

First Listen: o resultado do romantismo de Luan Santana e as batidas eletrônicas de Alok em “Próximo Amor”

“Próximo Amor”, a música que Alok e Luan Santana vão lançar juntos na próxima sexta (23/11), tem mesmo um pouco da cara dos dois. O POPline recebeu a faixa em primeira mão e te conta detalhes aqui nesta matéria. A música é conduzida por batidas eletrônicas, que não negam o dedo do DJ, mas a letra e os vocais trazem o mesmo Luan de sempre. Se a tentativa era diversificar e fazer algo diferente, não acredito que o objetivo foi alcançado. A música parece um remix, na verdade. É como se Alok tivesse pegado o material bruto e produzido a partir de algo que já existisse (a gravação de Luan) e nós, o público, só fôssemos conhecer a versão remixada, mas não a original. Dá quase para afirmar que eles nunca estiveram juntos em estúdio, pelo resultado. Há uma diferença entre uma verdadeira criação coletiva e um trabalho dividido em partes: eu faço a minha, você faz a sua, a gente junta e apresenta.

Tanto Alok quanto Luan têm buscado sonoridades alternativas em seus repertórios. No caso do DJ, estourado com “Hear Me Now”, isso ficou evidente em “Paga de Solteiro Feliz” (com Simone & Simaria), “Toda la Noche” (com Mario Bautista) e “Baianá” (com Barbatuques e Foreign), sem contar o remix de “Pelados em Santos” (Mamonas Assassinas). Luan, por sua vez, tem alternado singles românticos e dançantes nos últimos anos, com direito a explorar reggaeton, batidas pesadas e até parceria com funkeiro. “Próximo Amor”, nos 30 primeiros segundos, soa como mais um típico single romântico – tanto pela letra quanto pela melodia. A pegada “Alok” entra no primeiro refrão, quando Luan canta mais empolgado os versos “o seu próximo amor / não tem culpa do que você passou / se passou, não foi amor / amor fica e você não ficou”. Sim, dá para imaginar os fãs cantando em alto e bom som esse refrão nos shows do cantor. Ele sabe escrever músicas populares: quase todos seus singles são nº1 nas rádios brasileiras.

Depois do primeiro refrão, entra a parte mais dançante e eletrônica, enquanto Luan canta “ô,ô,ô,ô”. É após o segundo refrão, contudo, que Alok tem seu “solo”: o destaque é totalmente a produção do DJ. Mas é o que disse acima: consigo imaginar as pessoas cantando essa música nos shows do Luan. Não consigo imaginar isso funcionando nas pistas. Talvez não seja mesma a intenção. “Próximo Amor” é diferente do que você espera quando ouve falar que Luan Santana gravou uma música com Alok. Você imagina algo totalmente novo e não é exatamente o que acontece. Não me surpreenderia se Luan Santana, em algum momento, lançasse uma versão acústica desta canção.

Escrito por Leonardo Torres

ROCKline: Escalação de Los Hermanos no Lollapalooza Argentina deixa no ar possibilidade de nova turnê

Nicki Minaj manda mensagem para 6ix9ine após prisão: “eu te amo e estou rezando por você”