Ferrugem e amigos fazem live solidária para ajudar artistas sem renda por conta da Covid-19. Foto: Divulgação
Ferrugem e amigos fazem live solidária para ajudar artistas sem renda por conta da Covid-19. Foto: Divulgação
in ,

Ferrugem e amigos fazem live solidária para ajudar artistas sem renda por conta da Covid-19

A história começou com uma live informal, feita no DropSound Studio, onde cinco dos atuais integrantes – Ferrugem, Thiaguinho, Testa, Ferrari e Cammie – se reuniram para fazer música de forma livre e espontânea, cantando e tocando canções que fazem parte da trajetória dos artistas.

Ferrugem e amigos fazem live solidária para ajudar artistas sem renda por conta da Covid-19. Foto: Divulgação
Ferrugem e amigos fazem live solidária para ajudar artistas sem renda por conta da Covid-19. Foto: Divulgação

Com o retorno positivo do público, outros amigos foram convidados e nasceu assim o projeto DropBand. A primeira apresentação acontecerá no dia 31 de julho, no formato “live”, com arrecadação de doações para a campanha “Juntos pela Música”, destinada à músicos que tiveram sua renda impactada pela crise.

Com apresentação da influencer digital Thaís Vasconcellos e participação remota de alguns artistas, a transmissão será a partir das 19 horas, no Youtube do DropSound Studio. No repertório estarão músicas como “3AM”, “150%”, “Sem Ninguém”, “Nem Sabe Amar”, “Hotline Bling”, “Yummy”, “O Descobridor dos 7 Mares”, “É Natural”, “Sinto Sua Falta”, entre outras.

Lançado em abril pela União Brasileira de Compositores (UBC), em parceria com o Spotify, o fundo “Juntos pela Música” soma hoje quase R﹩ 1,7 milhão. Com o valor arrecadado até o momento, mais de 1 mil músicos poderão ser socorridos com o benefício de R﹩1.600, divididos em 4 parcelas. O número de solicitações já passa de 2 mil.

A DropBand é formada por: Ferrugem (cantor), Cammie (cantora), Matheusinho (cantor), Gabriel Testa (guitarrista), Carlos JRSC (tecladista), Thiago Maximino (guitarrista), Zazá (baixista), Gabriel Ferrari (baterista), Ckallebe Mendes (saxofonista) e Mafram do Maracana (percurssionista).

Sobre o fundo “Juntos Pela Música”

A pandemia do Covid-19 acertou em cheio a indústria da música. A proibição da realização de eventos estancou quase por inteira a fonte de renda de milhares de artistas. A crise afeta também a arrecadação de direitos autorais por execução pública, que terá queda de R﹩ 140 milhões em 3 meses, segundo o Ecad.

Diante deste cenário, a União Brasileira de Compositores (UBC) e o Spotify lançam o fundo “Juntos Pela Música”, que remunerará artistas que enfrentam dificuldades financeiras. O fundo nasceu com R﹩ 1 milhão, sendo R﹩ 500 mil da UBC e outros R﹩ 500 mil do Spotify, destinados a milhares de artistas afetados pela quarentena.

Para ampliar o alcance dos benefícios, as entidades abriram a campanha para doações da sociedade civil, através de uma plataforma de crowdfunding.

O movimento faz parte do projeto global “Spotify COVID-19 Music Relief“. A empresa irá igualar as doações arrecadadas via crowdfunding, em parceria com a UBC, para atender os artistas. Neste caso, o Spotify se compromete a equiparar a doação em 1:1. Para cada real doado pela sociedade, a empresa doará o mesmo valor, além do aporte inicial de R﹩ 500 mil, até o limite do seu programa global de ajudas do gênero.

Sobre a UBC

União Brasileira de Compositores – UBC é uma associação sem fins lucrativos, dirigida por autores, que tem como objetivo principal a defesa e a promoção dos interesses dos titulares de direitos autorais de músicas e a distribuição dos rendimentos gerados pela utilização das mesmas, bem como o desenvolvimento cultural.

Escrito por Helena Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bissexual, cantor de axé, Netinho critica público LGBTQIA+ e chama Carnaval de "Sodoma e Gomorra". Foto: Divulgação Site Oficial

Bissexual, cantor de axé Netinho critica público LGBTQIA+ e chama Carnaval de “Sodoma e Gomorra”

Sem Réveillon em Copacabana, criador do Rock in Rio sugere show 'isolado' de Roberto Carlos com participação de hotéis e moradores. Foto: Divulgação

Sem Réveillon em Copacabana, criador do Rock in Rio sugere show ‘isolado’ de Roberto Carlos com participação de hotéis e moradores