Foto: @anitta @ludmilla @bacoexudoblues (Instagram)
in ,

Estreias de Anitta, Ludmilla e Baco são destaques globais no Spotify

Os fãs de música brasileira seguem mostrando a sua força no Spotify. Nesta semana, projetos de Anitta, Ludmilla e Baco Exu do Blues estrearam com destaque global na plataforma.

Leia mais: 

Boys Don’t Cry“, nova aposta internacional de Anitta, fez a segunda melhor estreia da última semana, atrás apenas do single “High“, do The Chainsmokers. A música apareceu no ‘Top Songs Debut Global‘ do Spotify a frente de trabalhos de Charli XCX e XXXTENTACION.

O novo single da brasileira recebeu 1,492,046 de streams em suas primeiras 24 horas, estreando na segunda colocação do Spotify Brasil.

Foto: Spotify Charts

Outro destaque foram os novos álbuns do Baco Exu do Blues e de Ludmilla. O rapper teve a quinta melhor estreia do mundo na plataforma com o disco “Quantas Vezes Você Já Foi Amado?”. O projeto recebeu mais de 2.1M de plays em menos de 24 horas, além de todas as faixas entrarem na lista de top 200 das mais ouvidas no Brasil.

 Lud apareceu na 9ª posição com o “Numanice #2“. O disco repetiu o feito do primeiro projeto de pagode da cantora ao colocar todas suas faixas no Top 200 do Spotify Brasil.

Sucesso do Numanice 2

Lançado no último dia 26 de janeiro, o “Numanice #2” possui 10 faixas inéditas, mas nenhuma colaboração, e todas apareceram no Top 200 do Spotify Brasil.

Capa do álbum "Numanice #2", de Ludmilla
Capa do álbum “Numanice #2”, de Ludmilla. Foto: Divulgação

O feito é inédito no pagode e já era uma marca de Ludmilla com o primeiro “Numanice, que teve seis faixas inéditas. O segundo lançamento de pagode da cantora, agora estende seu próprio recorde entre as mais ouvidas dos brasileiros no Spotify.

Ao colunista Leo Dias, Ludmilla afirmou:

“Pagode é completamente dominado por homens e eu quebrei esse recorde, chegando com o pé na porta e mudando tudo. E quem não acreditou, agora fica de cara.”

 

Escrito por Douglas Françoza

Equipe de Rodrigo rebate Anitta sobre fala transfóbica do brother

“Mongolão, não”! Paulo André usa termo capacitista e é corrigido por DG