Blackpink. Foto: Instagram
in

Especialistas dizem como BLACKPINK pode conseguir indicação ao Grammy 2022

Após indicação do BTS, eles apontam que as portas da premiação podem estar abertas ao artista coreanos

A nomeação do BTS na categoria Melhor Performance Pop de Duo ou Grupo no Grammy Awards 2021, por “Dynamite”, abriu um portal para todos os artistas de K-Pop na maior premiação da industria da música. A nominação é muito representativa, não só para o grupo, mas para toda a cultura e demonstra um reconhecimento da indústria ocidental para com a oriental. Com isso todos os olhos se voltaram para o maior grupo feminino do gênero: o BLACKPINK – que ficou de fora da lista de concorrentes neste ano, mas tem grandes chances de chegar lá em 2022.

Coreia do Sul muda lei para adiar serviço militar do BTS
(Foto: Divulgação)
Com números impressionantes, Jeenie, Lisa, Rosé e Jisoo estão no radar de especialistas que explicam como o quarteto feminino poderá estar entre os artistas indicados na próxima lista. O crítico musical do IZM , Jung Min Jae, acredita que as garotas precisam lançar um “hit de maior impacto” para impressionar a Academia. Para ele, “Dynamite” do BTS foi uma faixa particularmente chocante, alcançando o primeiro lugar na parada Billboard Hot 100.

Em comparação, Jung afirma que o maior hit do ano do BLACKPINK nos Estados Unidos, “Ice Cream”, em parceria com om Selena Gomez, não teve a mesma sorte. Seria injusto descartar o sucesso do hit, que quebrou o recorde do grupo feminino quando alcançou o 13º lugar no Hot 100. O problema da trajetória do single, segundo Jung, foi o fato da música cair rapidamente 36 lugares logo na segunda semana de lançamento.

BLACKPINK comenta título de "maior girlgroup do mundo"
(Foto: Divulgação)

A premiação é conhecida por valorizar a criatividade do trabalho. O colunista K-Pop da Billboard, Jeff Benjamin, concorda que as meninas precisam de mais integridade artística. Ele observou que mesmo Jennie e Jisoo participando da composição de “Lovesick Girls” – “uma conquista impressionante”,  segundo ele, falta as meninas reforçarem suas identidades e o diálogo com a mídia norte-americana. Um passo importante para os olhares da Academia do Grammy.

Vale ressaltar que nem tudo depende apenas do próprio grupo. O fundador da agência promocional do Asian Agent , Danny Lee, trabalhou com artistas ídolos como BLACKPINK e (G) I-DLE, bem como artistas americanos vencedores do Grammy como Black Eyed Peas. Lee apontou que nunca houve uma nomeada de grupo pop feminino, mesmo americano, para Melhor Performance Pop de Duo ou Grupo no Grammy, então, o grupo feminino coreano está em maior desvantagem por isso.

Patty Ahn, professora da Universidade da Califórnia em San Diego e especialista em cultura pop coreana, concorda. Segundo ela, o BLACKPINK não precisa mudar sua estratégia de trabalho, mas, sim, o sistema do Grammy. Aos seus olhos, asiáticos, asiático-americanos e mulheres negras em geral têm lutado para receber as indicações que merecem no Grammy, e BLACKPINK é apenas mais um exemplo dessas questões. Só nos resta, agora, observar.

Escrito por Leonardo Rocha

Now United: Josh Beauchamp aparece ouvindo funk do DJ GBR e fãs reagem

Storytelling POPline: As Baías discutem a importância de ser uma banda com duas cantoras trans!

Storytelling POPline: As Baías revelam como driblaram a melancolia de 2020 transformando angústia em arte!