in

Entrevista: Shawn Hook fala sobre Vanessa Hudgens, EP novo e trabalho com a gravadora da Disney

É depois dos 30 que Shawn Hook está tendo a chance de aumentar seu público para outros países. Você deve conhecer o cantor canadense de “Reminding Me”, dueto com Vanessa Hudgens, a eterna Gabriella de “High School Musical”. A parceria com a americana é uma das estratégias da equipe de Shawn para tornar seu nome conhecido fora do Canadá. Uma outra é o EP “My Side Of Your Story”, lançado na última sexta (16/6), com quatro faixas. Aliás, escute:

Shawn Hook assinou contrato com a Hollywood Records, a gravadora da Disney, no fim de 2015, depois de chamar a atenção com o single “Sound of Your Heart”. A música ganhou certificado de platina no Canadá e foi uma das 30 mais tocadas de 2016 pelos DJs nos Estados Unidos. Alcançou o topo da parada Dance Club Songs da Billboard, e abriu as portas para o cantor. Com isso, veio Vanessa, veio EP, e veio entrevista para o POPline, o que significa mesmo uma intenção de alcance internacional. Confira abaixo nosso papo com ele!

O que você mais gostou sobre trabalhar com Vanessa Hudgens?
Ela é muito doce e focada no trabalho. Totalmente profissional. Quando gravamos o clipe, era tipo a primeira vez que estávamos interagindo pessoalmente e foi um dia muito divertido. Muito legal mesmo. Depois, a gente cantou junto na TV e ela foi novamente superdedicada. Chegou cedo para o ensaio e repassamos muitas, muitas, muitas vezes para nos certificarmos de que ficaria bom. Gosto muito de fazer parceria com alguém tão dedicada assim!

Vocês têm algumas cenas sexy no clipe. Como foi gravá-las?
(risos) Foi divertido! Quando a gente foi gravar, tinha muita gente no set. Colocaram uma baladinha romântica para a gente entrar no clima, porque estávamos completamente no oposto. Foi ótimo, mas parece mais quente no vídeo do que na verdade foi. Na gravação, era tipo “corta!”, “muda!”, “faz assim”, então a gente parava o tempo todo (risos). Acaba sendo engraçado.

E quanto a letra? No que você se inspirou para escrever?
A música é sobre sair de um namoro e se jogar em outro. Daí, você fica comparando e lembrando… “Ai meu Deus! Isso era ótimo”… “Ops, isso não é tão ótimo”. Eu pensei nessa situação quando compus, essa foi minha inspiração. A letra passa isso: você se joga em outro relacionamento para superar o anterior, mas fica se lembrando. É o que acontece.

O seu single é meio que um retorno de Vanessa Hudgens à música. Ela falou sobre isso com você?
Nós nos encontramos para um café em Los Angeles e ela me disse que não é grande fã de música pop, mas que amou meu som e que esse era o tipo de música que ela gostaria de fazer quando voltasse. Conversamos sobre isso, e fico feliz de fazer parte desse momento dela.

Agora me diga a verdade: você era fã de “High School Musical”? Não acho que você era o público alvo…
(risos) Eu nem assisti ao filme, então não mesmo!

O que você conhecia da Vanessa cantora antes da parceria?
Eu não conhecia muito. Sabia que ela podia cantar e que era legal. Achei que seria algo a mais para a música, uma boa somatória, e realmente foi.

Você tem contrato com a Hollywood Records. Existem limitações ao trabalhar com uma gravadora da Disney?
Não tenho certeza, na verdade. Não acho que existam limitações. Sei que a gravadora colabora muito comigo. Realmente me ajuda. Por causa da Hollywood, posso trabalhar com pessoas incríveis, com as quais não teria chance de outra maneira. Para mim, o que importa é a música. A música é a prioridade, e a Hollywood realmente apoia essa minha visão. Eles são muito profissionais.

Como a gravadora pode te ajudar em outros países, sendo você um artista canadense?
Sim! A Kreative Soul me ajudou muito no Canadá, foi muito forte no país, mas a Hollywood me insere nos Estados Unidos, com capacidade de alcance global. Então eu fui para a Suécia e para o Reino Unido no ano passado, por exemplo. Espero ir para o Brasil em breve! (risos) É um objetivo para mim. A Hollywood me dá chances de crescer.

Você sente que está em um momento decisivo na sua carreira – dando um grande passo?
Acho que sim. Mas acho que tudo é um grande passo na música. Meu objetivo é gravar e lançar. Isso é um passo. O ano passado foi realmente muito excitante para mim por poder sair do Canadá, conhecer o mercado americano e outros mercados. Então, sim. Esse agora é outro passo, e espero dar mais, sempre continuando a focar na música.

Você lançou o EP “My Side of Your Story” com quatro músicas, mas sei que você fez cerca de 80 no processo. Qual foi o critério de escolha?
Sim, é um processo duro. Eu confio na minha gravadora, no meu empresário e nos meus amigos. Mostrei as músicas para essas pessoas e vi quais eles gostavam mais, como reagiam a cada uma. Eu queria ter certeza que faria um EP com as melhores músicas tanto para mim quanto para as pessoas nas quais mais confio. Acredito que escolhi as melhores.

Quanto tempo levou para escrever tantas músicas?
Acredito que um ano e meio. Foi um longo processo.

“Remiding Me” é uma canção de amor. E as outras?
Também são sobre relacionamentos. (risos) É o tipo de música que eu gosto de escrever. Músicas que tenham uma conexão emotiva comigo. Relacionamentos amorosos também são um tema com o qual a maioria das pessoas podem se identificar, e isso é importante.

Para terminar, qual seu maior sonho profissional?
Pergunta difícil! Tenho muitos sonhos! Muitos objetivos! (risos) Ok. Cantar no Grammy! Esse seria um dos meus maiores sonhos: cantar de frente para as pessoas que sempre admirei.

Escrito por Leonardo Torres

Gêmeos de Beyoncé e Jay Z nasceram, anuncia imprensa americana

Katy Perry coloca “Witness” no topo da parada da Billboard