in ,

Entrevista: conheça o grupo Oriente, que com meio bilhão de views no YouTube, inova e lança projeto acústico!

O grupo Oriente é uma banda de rap que comemorará 10 anos em 2019, formada pelos integrantes Chino, Nissin, Geninho e Nobrú que se destacaram no cenário nacional pelo sucesso das músicas “Linda, Louca e Mimada” e “Vagabundo É Foda”. Ao longo da carreira os meninos de Niterói, no Rio de Janeiro, somam a marca de meio bilhão de views no YouTube e investem em um projeto bem diferenciado! O novo lançamento do quarteto, “Oriente Acústico II”, é um álbum com 6 faixas, sendo três inéditas e três regravações. Além disso, o EP conta com participações de nomes da nova cena do rap nacional como Delacruz, Mari Nolasco, Cynthia Luz, Rebeca Sauwen, Pablo Martins, Baviera, MC Hariel e CT. O POPline bateu um papo com os músicos que contaram tudo sobre a nova fase!

Vocês são um grupo de Rap, que é um estilo conhecido pela contestação e também pela inquietude, seja através das letras e até mesmo pela performance de quem canta. Como é pra vocês gravarem um álbum acústico, que sugere justamente um ambiente mais quieto?

O Oriente sempre foi muito dinâmico, muito diverso, independente do estilo que a gente representa. Nós temos música de todos os tipos: de amor, de contestação, arranjos acústicos e beats mais pesados e eletrônicos. Então, para o Oriente, a diversidade sempre foi uma característica. Pra gente é muito bom fazer o “Acústico II”, porque tem muito a ver com a nossa identidade, além de ser sempre bom fazer coisas novas e nunca nos limitarmos a um estilo só.

Como foi a escolha do repertório e dos convidados?

A escolha foi muito de acordo com os artistas que a gente admira. Não só a galera nova, mas também a mais antiga, que vem pra somar. Então a escolha foi muito aberta e tranquila, porque se o Oriente sintoniza com o artista, conseguimos transmitir uma energia muito fiel, que é a que a gente sente. Foi uma escolha simples e ao mesmo tempo direcionada a quem faz música com alma, que nos acrescenta em todos os sentidos.

De onde veio o nome do grupo, que “Oriente” é esse?

O nome Oriente vai muito pelo sentido da palavra “orientação”, mas também pela identificação com o estilo de vida oriental. Então, são duas questões muito sensíveis, num sentido de buscarmos esse caminho dentro de nós mesmos, que é muito importante.

O que vocês estão preparando para 2019? Parcerias, músicas novas, mistura de ritmos? Conta tudo pra gente!

Em 2019 estamos pensando em lançar uma outra sequência de acústicos, seguir com as parcerias; lançar alguns singles com beats eletrônicos, de trap e de rap num geral. Então, deve ser um ano de muita produção para o Oriente e, principalmente, de continuidade. Dando sequência ao que começamos este ano.

Escrito por Helena Marques

Saulo Poncio lança música e clipe em homenagem à futura esposa Gabi Brandt: “Tudo Que Sonhamos”

Halsey dança com mulher na TV, incomoda audiência e rebate comentários homofóbicos na Internet