Connect with us

Retrospectiva

ENQUETE: Quais as músicas mais injustiçadas da década?

O POPline quer saber quais são as músicas mais injustiçadas da década! Listamos mais de 200 títulos enviados por nossos leitores pelo Twitter e pelo Facebook. Agora é a hora da votação. Espere a lista carregar (é grande!) e vote naquelas que você acha que mereciam mais atenção!

Published

on

Muito aconteceu de 2010 até 2019. Vendas de álbuns físicos caíram drasticamente e o consumo digital passou a ditar o mercado. Primeiro, com downloads e, agora, com streams. O novo cenário permitiu que muitos artistas tivessem uma oportunidade de alcançar o grande público, mesmo sem gravadora. Ao mesmo tempo, o número de lançamentos se tornou muito maior e, com isso, singles se tornaram descartáveis, com vida efêmera. Muita música boa não teve a atenção merecida, no meio de tanta distração para o consumidor.

O POPline quer saber quais são as músicas mais injustiçadas da década! Listamos mais de 200 títulos enviados por nossos leitores pelo Twitter e pelo Facebook. Agora é a hora da votação. Espere a lista carregar (é grande!) e vote naquelas que você acha que mereciam mais atenção.

VOTAÇÃO ENCERRADA

Confira o resultado aqui!

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Retrospectiva

Confira o ranking com os dez melhores álbuns/EPs de artistas nacionais em 2019

Lista foi montada com base em votos dos leitores em enquete do POPline.

Published

on

O POPline terminou 2019 perguntando aos leitores qual foi o melhor álbum/EP de artista nacional. A enquete recebeu 16 mil votos e já temos o Top 10 com a opinião popular. Confira:

10) Tiago Iorc – “Reconstrução”

O quinto álbum de estúdio do cantor-compositor foi lançado de surpresa de madrugada e impactou a cena pop nacional. É um álbum visual, com 13 faixas e 13 clipes, todos divulgados de uma só tacada. Tiago não deu entrevistas para promover o trabalho e deixou as letras falarem por si só. A música “Desconstrução” lhe rendeu um Grammy Latino. Recebeu 3% do votos.

09) Rouge – “Les 5inq”

Esse é tanto o primeiro álbum do Rouge desde 2005 quanto a nova despedida da girlband. Ele compila as cinco faixas que tinham sido lançadas no EP “5” – como “Dona da Minha Vida” e “Solo Tu” – e traz um solo de cada uma das integrantes, algo inédito na discografia do Rouge.Recebeu 3% do votos.

08) Claudia Leitte – “Bandera Move”

Com esse EP, a cantora voltou a trabalhar com conjunto de músicas ao invés de singles avulsos. São quatro faixas, encabeçadas por “Bandera”, que dita o conceito do projeto e da turnê nova dela. Recebeu 3% do votos.

07) Gloria Groove – “Alegoria”

A drag queen reuniu quatro músicas autorais neste EP: cada faixa é uma metáfora para um tema que ela desejava tratar. Todas contam com clipes. As canções exploram sonoridades diferentes e tratam de militância, pink money e fervo. Recebeu 3% do votos.

06) Luísa Sonza – “Pandora”

O álbum de estreia de Luísa Sonza traz oito faixas, sendo sete de co-autoria dela. Há participações de Pabllo Vittar, Gaab e Vitão, com destaque para o single “Garupa”. Quase todas as músicas já ganharam clipes. Recebeu 4% do votos.

05) Luan Santana – “Viva (Ao Vivo)”

Com o conceito de alinhar tecnologia e romantismo, o cantor gravou seu quinto álbum ao vivo com uma megaprodução em Salvador. O repertório traz alguns de seus grandes sucessos acompanhados de uma grande leva de inéditas, incluindo os hits “quando a bad bater” e “água com açúcar”. Recebeu 7% do votos.

04) Jão – “Anti-Herói”

O segundo álbum do cantor-compositor trata de um namoro que não deu certo. As músicas narram detalhes do relacionamento tóxico, ora apontando o dedo ora assumindo a culpa e pedindo desculpas. “Enquanto Me Beija” foi o primeiro single. Recebeu 10% do votos.

03) Pabllo Vittar – “111 1”

A drag queen decidiu dividir seu terceiro álbum em duas partes – dois EPs, por assim dizer. A primeira é essa e traz músicas em inglês, português e espanhol, além de participações de Psirico e Charli XCX. As canções em português, “Amor de Que” e “Parabéns”, são os maiores sucessos. Recebeu 15% do votos.

02) Ludmilla – “Hello Mundo”

O primeiro álbum ao vivo da cantora acabou ganhando também uma versão de estúdio, com dez faixas. Ludmilla emplacou o single “Favela Chegou” (com Anitta) no último Carnaval. Há ainda participações de Léo Santana, Jão, Ferrugem e Simone & Simaria. Recebeu 18% do votos.

01) Anitta – “Kisses”

Primeiro álbum internacional e visual da Anitta. São dez músicas e dez clipes, com letras em português, inglês e espanhol. Passa por pop, pop latino, reggaeton, funk, R&B, eletropop e MPB, com participações de Becky G, Ludmilla, Snoop Dogg, Swae Lee, Prince Royce, Caetano Veloso, entre outros. O grande hit é “Onda Diferente”, com Ludmilla e Snoop Dogg. Recebeu 29% do votos.

Continue Reading

Retrospectiva

Relembre todas as músicas que chegaram ao #1 na Billboard Hot 100 em 2019

16 faixas chegaram ao #1.

Published

on

Apenas 16 faixas chegaram ao primeiro lugar na Billboard Hot 100 no ano de 19, sendo a maior parte do tempo dominada por Lil Nas X e o single hit “Old Town Road”. Foi um ano eclético, onde o pop voltou a ter grande espaço. Também ficaram em #1 músicas de rap, RB& e alternativas.

Alguns artistas conquistaram o primeiro #1 da carreira, incluindo Lizzo, Selena Gomez e Billie Eilish. Outros veteranos colocaram outro na coleção, como Mariah Carey, Lady Gaga e Post Malone. Quer relembrar? Confira:

“Thank U, Next” – Ariana Grande

“Without Me” – Halsey (2x)

“Sunflower” – Post Malone e Swae Lee

“7 Rings” – Ariana Grande (8x)

“Shallow” – Lady Gaga & Bradley Cooper

“Sucker” – Jonas Brothers

“Old Town Road” – Lil Nas X featuring Billy Ray Cyrus (19x)

“Bad Guy” – Billie Eilish

“Señorita” – Shawn Mendes & Camila Cabello

“Truth Hurts” – Lizzo (7x)

“Highest in the Room” – Travis Scott

“Someone You Loved” – Lewis Capaldi (3x)

“Lose You to Love Me” – Selena Gomez

“Circles” – Post Malone (2x)

“Heartless” – The Weeknd

“All I Want for Christmas Is You” – Mariah Carey (2x)

Continue Reading


Retrospectiva

Os dez melhores clipes do segundo semestre de 2019

“Adore You”, de Harry Styles, é o favorito da redação do POPline.

Published

on

2019 chega ao fim com ótimo salto de clipes pop. O POPline lista aqui os dez melhores vídeos do segundo semestre – com artistas veteranos e novatos, nacionais e internacionais.

O ranking foi montado da seguinte maneira: cada membro do staff votou em seus dez clipes favoritos, do 1º ao 10º. Pontos foram atribuídos a cada colocação nesta seleção individual. Em seguida, os pontos foram somados para descobrir quais eram os clipes mais votados para alcançar as melhores posições no ranking final e coletivo. Confira o resultado:

10) Sam Smith – “How Do You Sleep?”

O ano de 2019 foi transformador para Sam Smith. É verdade que o britânico ganhou o respeito de público e crítica desde o seu primeiro álbum e single, mas ele precisou de cinco anos de carreira para que tivesse a coragem de revelar a sua verdadeira personalidade! “How Do You Sleep?” trouxe pela primeira vez um Sam Smith mais solto, confiante e surpreendente. Não foi a toa que dezenas de personalidades famosas apoiado imediatamente e organicamente o vídeo. Dirigido por Grant Singer e coreografado pela premiada Parris Goebel, o clipe trouxe não só um Sam Smith que lamenta um relacionamento que não deu certo – um tema recorrente em suas canções – mas um Smith que dança, sem medo, sem vergonha e livre. Não bastando uma grande música, ganhamos também um super clipe, com uma mensagem importante e um artista mais real ainda. Amanda Faia.

09) Rubel feat. Anavitória – “Partilhar”

A Internet tornou a todos nós mais ou menos dispersos. Segurar a atenção de uma pessoa em um clipe de dois, três minutos, sem interrupção, é uma missão. Eu tendo a passar o cursor para ver se tem algo que valha a pena mais para frente no vídeo. “Partilhar”, porém, me pegou do início ao fim, tratando justamente do desconforto de um encontro inesperado (ainda que intimamente desejado) pessoalmente. Eu vi e revi dezenas de vezes – sem brincadeira. O clipe tem sete minutos e Rubel utilizou a linguagem do curta-metragem para segurar a atenção do espectador. É muito cinematográfico. Marina Ruy Barbosa, a atriz convidada, apresenta ótima performance, com contribuição imensurável para o resultado final. Eu amo.Leonardo Torres.

08) Lana Del Rey – “Fuck It I Love You / The Greatest”

Lana Del Rey gosta de lançar clipes bem caseiros, simples… Ela começou a divulgação do álbum “Norman Fucking Rockwell!” levando esse conceito ao extremo. Até mesmo as capas dos singles pareciam caseiras. “Fuck it I love you / The greatest” veio quando o álbum estava prestes a sair e apresentou um trabalho coerente. Ainda tem uma estética caseira e simples, com filtros de imagens que leva o telespectador a ter essa sensação. No entanto, é só perceber os detalhes para entender que essa é uma superprodução. Dirigido por Rich Lee, que tem um currículo de pérolas, o clipe consegue uma imersão ao conceito do álbum com sucesso. As belas imagens te levam para a Califórnia e a sonoridade hipnotizante de Lana intensificam essa sensação. Sendo um clipe duplo e com quase 10 minutos, seria fácil que ficasse chato. Talvez fique chato para uma visualização casual, sim. Esse é um clipe, portanto, para ver em apreciação, se transportando para o mundo de Lana Del Rey. – Caian Nunes.

07) Gloria Groove – “A Caminhada”

Outro dia desses li no Twitter que se o EP “ALEGORIA” fosse lançado por uma diva hétero, seria número um. É uma pena mesmo que todo o trabalho desenvolvido por Gloria Groove não ganhe mais espaço na mídia tradicional, mas os seguidores do POPline e a equipe do site sabem reconhecer um projeto incrível quando lançado. O “ALEGORIA” merecia que todos seus videoclipes entrassem para a nossa lista e ele dividiu opiniões nas listas pessoais dos nossos jornalistas, mas “A CAMINHADA” saiu na frente! O último vídeo do EP não só é tecnicamente incrível como os outros, mas traz nuances no roteiro que servem de reflexão. E é pelo posicionamento político e a direção perfeita de Felipe Sassi que ele acabou vencendo. Em 2019 vimos Gloria Groove se tornar uma artista ainda maior que em 2018 e tudo diante dos nossos olhos! Que venha 2020! Estamos curiosos para saber para onde ela vai depois do “ALEGORIA”.Amanda Faia.

06) Harry Styles – “Lights Up”

O clipe que Harry Styles estreou sua nova era é mais sensorial do que visual. Ele quer te provocar sensações… A sensação de liberdade quando o vento bate no rosto na garupa de uma moto veloz, a libido no meio de uma profusão de corpos nus, a catarse de flutuar em águas rasas. Você meio que sente tudo isso, também. No final das contas, o que predomina é a liberdade. E é exatamente isso que Harry quis passar em seu novo álbum. Um homem mais livre, leve, criativo. Esse é clipe de pura arte. “Lights Up”, no entanto, é tão boa que talvez nem precisasse do clipe para provocar tantas sensações. Experimente colocar no fone de ouvido, bem alto. Sinta. Caian Nunes.

05) Camila Cabello – “Shameless”

Havana, ooh na na. Camila Cabello conseguiu muito cedo em sua carreira sua música de assinatura. Não adianta, ela não vai fugir disso… Por mais que ela emplaque hits, ela vai ser sempre a cantora de Havana. Isso é muito bom, mas é perigoso. É muito fácil cair no “mais do mesmo”. Mesmo assim, “Shameless” mostra que Camila tem culhões. Tanto o clipe, quanto a música, são poderosos, catárticos, como o calor do fogo. Aqui, a cantora mostra que ama sem vergonha. O amor é algo tão forte que ela o transforma em um culto, uma profusão de sentimentos que mal podem controlados. Representando tudo isso, ela aposta em cenas impactantes com “várias Camilas” dançando (não se engane, são pessoas diferentes), além da flutuação em uma festa, uma corrida sem rumo pela cidade, uma confissão. Aqui, ela é uma artista que se arriscou a lançar uma música improvável para iniciar a segunda era da sua carreira. Poderia ser mais fácil seguir o caminho de Havana, mas Camila provou que é artista. “Shameless” é incrível, um dos passos mais ousados do mundo pop e um trabalho primoroso do diretor Henry Scholfield.Caian Nunes.

04) Madonna – “Batuka”

Uma obra de arte cinematográfica. É só assim que posso descrever o videoclipe de “Batuka”, de Madonna. Com uma fotografia impecável, ela conta uma história de superação feminina e ainda conta com a grandiosa participação das Batukadeiras, grupo musical de mulheres de Cabo Verde. O estilo musical Batuque, como diz o clipe, foi criado lá por mulheres escravas. O clipe de “Batuka” é uma lembrança de nossa própria história, que virou arte e é contada através dessa arte.Kavad Medeiros.

03) IZA – “Meu Talismã”

IZA é dos melhores expoentes da música pop contemporânea. Neste clipe, ela traz algo novo para sua videografia: nada de coreografia ou figurinos exuberantes, sem que isso comprometa a qualidade da estética de seu trabalho. Para a música romântica, ela e o diretor Felipe Sassi criaram um roteiro que acompanha um casal suburbano. A maneira como retratam o tema é muito digna, sem caricaturas e estereótipos. O resultado é lindo! Fotografia ímpar. A materialização dos versos “se cortarem a luz, a gente vai jantar à luz de velas” foi certamente um dos grandes momentos do segundo semestre.Leonardo Torres.

02) Normani – “Motivation”

Pra mim, é sempre bom ver artistas da nova geração mostrando seu respeito e admiração pelos artistas que vieram antes e abriram caminho para o cenário musical estar da forma que está. E em “Motivation”, Normani fez exatamente isso. É uma ode ao R&B do final dos anos 1990 e começo dos anos 2000, mas tudo isso feito de uma forma renovada, com novas coreografias que colocam Normani quase em um posto de ginasta olímpica. Com esse videoclipe, ela mostrou que é sim a renovação do R&B para a próxima década.Kavad Medeiros.

01) Harry Styles – “Adore You”

Transformar algo fictício em possivelmente real como parte da campanha de divulgação não é 100% original e pode ser algo muito arriscado se não for feito com maestria. Harry Styles arriscou e saiu ganhando. “Adore You” foi o único videoclipe citado por todos os jornalistas do POPline quando perguntados qual o melhor clipe do 2º semestre de 2019. A escolha orgânica deve-se ao cuidado não só com a faixa, que pode ter sua letra atribuída a qualquer relacionamento, mas também com o videoclipe. Surpreendentemente narrado por Rosalía, o vídeo mostra como uma pura amizade pode mudar a todos ao seu redor – e como abrir mão dela também. Com “Fine Line” Harry se reafirma como um grande músico, criador e passa longe da temida baixa e cobrança que acontece quando um artista lança o segundo disco da carreira. É certamente uma das melhores coisas de 2019. Amanda Faia.

CLIQUE AQUI PARA VER O RANKING DO PRIMEIRO SEMESTRE!

Continue Reading

POPline Mix




A GENTE TEM PAIXÃO EM INFORMAR, FOMENTAR E PROPAGAR TUDO SOBRE MÚSICA! Há treze anos temos o prazer de criar conteúdo que informe e forme opinião para conectar ídolos, fãs e marcas. Inovação, responsabilidade, ética, imparcialidade, diversidade e consciência inclusiva representam a nossa filosofia.
Copyright © 2006-2020 POPline Produções Artisticas & Comunicação LTDA