Connect with us

Emicida

Emicida desaconselha ida aos protestos pela democracia: “é o momento de ser racional”

Cantor teme aumento de casos de coronavírus e atitudes arbitrárias do governo

Published

on

Emicida desaconcelha protestos por causa do coronavírus e do governo (Foto: Divulgação)

Emicida desaconcelhou a ida da população aos protestos em favor da democracia e contra o racismo, marcados para este domingo, em algumas cidades do Brasil. Em um vídeo publicado em seu Instagram, o cantor clamou à população que seja racional e evite, além de uma propagação maior do covid-19, possíveis atitudes autoritárias e arbitrárias do governo de Jair Bolsonaro.

“Eu não vou ao protesto que estão organizando no domingo”, diz Emicida. E continua: “se voces derem uma busca, vocês vão ver que vários infectologistas e epidemiologistas sérios estão chamando isso de genocídio.

O rapper aponta também o possível risco de aumento em até 150% no número de casos da doença no país nos próximos dias.

LEIA MAIS

>>> IZA lamenta e pede justiça no caso Miguel
>>> Caso George Floyd: Halsey, Yungblud e outros artistas participam de protestos nos Estados Unidos

Sem citar o nome do presidente, Emicida diz que “a irresponsabilidade e a irracionalidade de quem tinha que conduzir esse país para melhor, ainda vai matar muita gente”. E alerta: “o contágio não chegou no seu máximo ainda”.

Para o cantor, “é parte do plano deles [governo]” levar a uma onda de contágio pior do que a que estamos vivendo para as comunidades”. “O que é que eu estou dizendo? Que é fácil? Engole seco? Chora em casa? Não”, pondera o cantor, a respeito do sentimento inflamado nas redes a favor dos protestos. “Mas manifestação não é micareta”, justifica.

Risco iminente

Emicida acredita que antes de qualquer protesto, precisa-se “de uma construção, de uma base, um projeto”.

“Não dá para pegar uma hashtag e achar que ela é um escudo. Na vida real, isso não funciona”, argumenta.

O cantor alerta ainda para o risco iminente de pessoas infiltradas provocarem tumultos nos protestos, com intuito de fazer com que as ações seja reprimidas pela polícia, com aval do governo. “Estrategicamente falando, a instabilidade está sendo ajustada para justificar uma atitude arbitrária. Se a gente entrar na dança dos caras, a gente sabe quem vai sofrer”, afirma.

Ele diz ainda que os brasileiros precisam agir muito mais com estratégia do que movidos pela emoção.

“Não é o momento de ser passional. É o momento de ser racional. A instatisfação é legítima, mas olha o contexto atual e o histórico do país que a gente vive”.

Na visão de Emicida, os protestos de domingo podem não só aumentar a onda de contágio do coronavírus no país, mas também acabar servindo como desculpa para justificar atos mais autoritários do governo.

“Coronavírus não brincadeira e a situação do país também não é uma brincadeira, mas tudo que esses vermes querem é uma faísca para rasgar de vez o tecido social dessa porra e ficar uma ruptura agressiva e violenta que vocês sabem em cima de quem vai primeiro”

Veja o apelo de Emicida!

Entenda as manifestações

Com o aumento da tensão política no país e a escalada de um regime ditatorial, além da onda mundial de protestos pela morte do negro americano George Floyd, novas manifestações pró-democracia e contra o governo do presidente Jair Bolsonaro estão marcadas para este domingo, em várias cidades do país.

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, que tem realizado protestos todos os domingos, foram aconselhados por ele a ficar em casa. O presidente classificou os manifestantes que se opõem ao seu governo como “terroristas” e ameaçou combater os atos com uso de força policial.

HojeTemLive.com.br




Ranking