in ,

Em nova entrevista, Dinah Jane revela que foi forçada a não mostrar todo seu potencial na época do Fifth Harmony

Não é novidade para ninguém todos os comprometimentos feitos por integrantes de grupos de música Pop, sejam eles de meninos ou de meninas, e Dinah Jane, em recente entrevista, resolveu falar mais um pouco sobre sua época no Fifth Harmony e o que teve que fazer para se adequar às exigências dos produtores e manter seu espaço no grupo.

Segundo Dinah, ela foi forçada a não mostrar todo o seu potencial vocal nas gravações do Fifth Harmony e, por ter uma voz mais soul, “infantilizou” seus vocais para se adequar ao grupo ou perderia seus solos.

“Eu estava lembrando que teve momentos em estúdio em que eu fiquei tipo, ‘não pude dar muito de mim mesma’.. Eu tinha que dar apenas o suficiente para essas músicas, especificamente.. Estando junto de outras pessoas”, afirmou Dinah Jane, em entrevista à rádio B96 FM.

“E me disseram que minha voz era muito soul, então eles falaram ‘sua voz é muito soul ou você infantiliza ela ou você vai ter só um pouquinho de espaço. Então eu tentei me tornar versátil, tornar-me essa imagem, essa voz, ou então eu não iria ter espaço na música”, completou Dinah Jane, que comparou esses comprometimentos com o seu atual momento, preparando seu primeiro disco solo.

“Agora eu posso tomar total controle do meu projeto e ninguém pode, tipo, me parar do que eu ouço ou do que eu sinto e eu posso, literalmente ser quem eu sou, sem que ninguém interfira”, concluiu Dinah, que também afirmou que seu primeiro álbum solo será uma boa mistura de ritmos, com Pop, Urban, R&B, Reggae, entre outros.

O primeiro single solo de Dinah Jane, “Bottled Up”, será lançado oficialmente nesta sexta-feira, dia 21 de setembro.

Escrito por Kavad Medeiros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fãs de Rita Ora de São Paulo poderão ouvir a nova música da cantora em primeira mão; saiba como!

Entrevista: Destiny’s Child do Brasil? Trio Donas fala de empoderamento e representatividade na música