Foto: Reprodução
in

De cada R$100 distribuídos de direitos autorais, apenas R$9 vão para as mulheres, revela UBC

Pesquisa revela que houve um aumento de 12% no cadastro de obras feitas, porém o faturamento das mulheres representa apenas 9% do total

Na música, na arte e na vida, as mulheres vêm reivindicando cada vez mais espaço na sociedade. Um movimento forte, mas ainda tímido em números, o que se torna mais visível quando observamos as estatísticas. Hoje, no Dia Internacional da Mulher, a União Brasileira de Compositores (UBC) divulgou em primeira mão para o POPline.Biz é Mundo da Música a 4ª edição do relatório “Por Elas Que Fazem a Música“.

O levantamento apresenta a participação da mulher na música, tendo como referência a base de dados da UBC, entidade responsável por 56% da distribuição de direitos autorais no país.

“Mulheres são destaque no setor musical. Um setor que já foi muito masculino. É muito importante que a UBC nos traga a real participação delas na música. Grandes estrelas femininas impressionam por seus feitos em número de público e alcance das suas obras. Fico extremamente feliz e motivada com os acontecimentos”, afirma Paula Lima, diretora da UBC.

Desde a elaboração da primeira edição do relatório, em 2018, o crescimento do número de mulheres associadas à organização foi de 68%. Elas compõem apenas 15% do quadro de mais de 40 mil associados da UBC, no entanto, representaram 17% de todos os titulares que se filiaram em 2020. O estudo aponta ainda que as associadas têm, em sua maioria, entre 18 a 40 anos, sendo 64% do Sudeste, 14% do Nordeste, 9% do Sul, 8% do Centro Oeste e 2% do Norte.

Comparando com 2019, houve um aumento de 12% no cadastro de obras feitas por autoras e versionistas. Já em relação aos fonogramas, o cadastro com participação de intérpretes femininas aumentou apenas 9%, de músicas executantes cresceu 8% e de produtoras fonográficas, 21%.

Foto: Reprodução

Em relação ao rendimento dos titulares, o valor recebido por mulheres no Brasil em 2020 continua representando 9% do total, ou seja, a cada R$ 100 reais distribuídos, o valor destinado a elas é de apenas R$ 9 reais. Já sobre o valor arrecadado no exterior, dentre os 100 titulares com maiores rendimentos, 12 são mulheres.

“O objetivo maior, tanto do relatório quanto dos debates que promovemos, é levantar uma discussão sobre a disparidade tão grande entre homens e mulheres. Queremos incentivar as mulheres a realizarem mais trocas, olhando para o passado e refletindo sobre o futuro. O quadro avança devagar, como esperado, mas já podemos notar melhoras nos números em relação às últimas edições da pesquisa”, comenta Vanessa Schütt, responsável pela Comunicação da associação.

Confira o relatório completo clicando aqui!

Ações em homenagem ao Dia da Mulher

De 8 a 11 de março, a UBC promoverá lives em seu Instagram, trazendo nomes e assuntos relevantes para o debate sobre a atuação das mulheres no mercado musical. A jornalista Fabiane Pereira, apresentadora do ‘Papo de Música’, programa de entrevistas com cantores brasileiros no YouTube, receberá as artistas Marina Lima, Kell Smith e Paula Lima. As transmissões acontecerão a partir das 16 horas.

Durante o mês, a UBC também exibirá depoimentos inéditos de cantoras em suas redes sociais. Serão mais de 30 vídeos, de nomes como Sandra de Sá, Emanuelle Araújo e Isabel Fillardis.

Confira a agenda das lives promovidas pela UBC:

Dia 08/03 (segunda-feira): Fabiane Pereira recebe Marina Lima
Dia 09/03 (terça-feira): Fabiane Pereira recebe Kell Smith
Dia 11/03 (quinta-feira): Fabiane Pereira recebe Paula Lima

Escrito por Rafa Ventura

Bruno Mars e Anderson Paak pedem performance do Silk Sonic na cerimônia do Grammy

BBB 21

BBB 21: Camilla de Lucas teve sonho que previu paredão falso