in

‘Concorrência Desleal’: Spotify apresenta queixa oficial contra a Apple Music na Europa; entenda

 width=

Os bastidores da indústria da música em 2019 segue envolvendo polêmicas com os gigantes do setor na atualidade. 

Spotify apresentou uma queixa oficial contra a Apple na Comissão Europeia no dia 13 de março, alegando que a empresa limita injustamente a escolha e a concorrência através das regras de sua loja de aplicativos, de acordo com a Variety.

“É amplamente sabido que Steve Jobs inicialmente queria apenas o conteúdo da Apple na App Store”, disse Daniel Ek, CEO e co-fundador do Spotify. “Mas sua reversão apenas um ano depois, para convidar parceiros externos, aumentou a demanda do consumidor e alterou o destino do mercado de aplicativos em geral. [Mas] o que inicialmente parecia uma parceria mutuamente benéfica, cada vez mais se sentiu muito unilateral. E agora é completamente insustentável ”.

Ek fala especificamente sobre a taxa de 30% cobrada pela Apple para a venda de produtos dentro do sistema de pagamento da Apple, incluindo quando os usuários Spotify atualizam de pacotes gratuitos para pacotes premium. 

Observe a diferença nos sistemas operacionais iOs e Android para a possibilidade de garantir o Spotify Premium:

 width=

Spotify a partir do sistema operacional iOs. Créditos: Reprodução

 

 width=

Spotify a partir do sistema operacional Android. Créditos: Reprodução

 

Com essas imagens conseguimos ver a diferença dos sistemas e a base da reclamação do Spotify.

Daniel segue sua reclamação falando que: “Como você sabe, a Apple é proprietária da plataforma iOS e de sua App Store e concorrente de serviços como o Spotify. Em teoria, isso é bom. “Mas no caso da Apple, eles continuam a se dar uma vantagem injusta em cada turno – estabelecendo-se para ser tanto árbitro quanto jogador no mundo da transmissão de áudio.

Isso prejudica deliberadamente os concorrentes da Apple, como o Spotify, mas, ainda mais importante, prejudica os consumidores. Acredito que estamos nos aproximando de um momento importante na história em que temos que fazer uma escolha: queremos que algumas plataformas dominantes selecionadas tenham o poder de fortalecer os outros e taxar o resto do ecossistema, tirando a capacidade de empresas menores? para competir efetivamente? Ou… queremos um ecossistema saudável onde a concorrência real floresça e onde a escolha do consumidor ganhe?”, disse Ek durante uma Conferência em Berlim no dia 14 desse mês.

“Como todos sabemos, o iOS e a App Store são a única maneira de oferecer nosso serviço a qualquer pessoa com um iPhone ou iPad. Isso é mais de um bilhão de pessoas em todo o mundo. Portanto, não estar em sua plataforma não é apenas uma opção para nós – ou realmente para qualquer serviço de internet concorrente nos dias de hoje. A Apple sabe disso.

Se desejarmos usar o sistema de pagamento da Apple para permitir que nossos clientes façam upgrade para o nosso serviço Premium, devemos pagar esse imposto de 30%. Isso significa que não podemos ser competitivos em termos de preço, porque somos obrigados a aumentar nossos custos para os consumidores.

Enquanto a Apple evita todos os impostos e pode oferecer a Apple Music a uma taxa muito mais baixa e atraente. Isso é especialmente prejudicial para uma empresa como a nossa, que já paga uma parcela significativa de nossas receitas para gravadoras e editores de música ”,pontua Daniel Ek.

Em resposta as críticas que recebeu, a Apple Music posicionou-se na última semana, afirmando que:

“O Spotify não seria o negócio que é hoje sem o ecossistema da App Store, mas agora eles estão aproveitando a escala para evitar contribuir para a manutenção desse ecossistema para a próxima geração de empreendedores de aplicativos. Depois de usar a App Store durante anos para aumentar drasticamente seus negócios, o Spotify busca manter todos os benefícios do ecossistema da App Store – incluindo a receita substancial que atraem dos clientes da App Store – sem fazer contribuições para esse mercado.”

A Apple também criticou mais amplamente o serviço de música: “Ao mesmo tempo, eles distribuem a música que você ama ao fazer contribuições cada vez menores aos artistas, músicos e compositores que a criam – chegando até mesmo a levar esses criadores para Tribunal.”

A plataforma falou justamente sobre a ação que o Spotify está movendo contra o aumento para os compositores pedido pela comissão dos direitos autorais nos Estados Unidos, juntamente com o Google, Pandora e Amazon Music.

Apple Music ainda negou que tenha bloqueado o acesso ao aplicativo Spotify em sua plataforma e disse que a única vez que solicitou ajustes no aplicativo é quando “o Spotify tentou contornar as mesmas regras que todos os outros aplicativos seguem”.

Em termos de corte de receita da Apple com o aplicativo em sua plataforma, a Apple reconheceu a participação de 30%, mas disse que o valor cai para 15% após o primeiro ano de assinatura anual. Ele também disse que “apenas uma pequena fração das assinaturas do [Spotify] se enquadra no modelo de compartilhamento de receita da Apple”.

A troca de acusações deve continuar por muito tempo em um ano de importantes rumos para a indústria da música.

Escrito por Redação POPLine

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Macaulay Culkin fala pela primeira vez sobre Michael Jackson após acusações de documentário

Pabllo Vittar faz flash mob com “Buzina” em plena Times Square, Nova York