in ,

Claudia Leitte leva sua pipoca para o circuito tradicional de Salvador e finaliza desfile aos gritos de “eu não vou embora”

Terceiro dia de desfile em Salvador. Na segunda-feira de carnaval, Claudia Leitte voltou à capital baiana com sua pipoca, desta vez no circuito tradicional do Campo Grande. Vestida de “Piranha Negra da Amazônia”, Claudinha comandou uma multidão linda, que dançou e cantou todas as suas músicas do início ao fim. Confira nossa resenha!

Foto: Nara Fassi

Para esquentar a galera, Claudia cantou mais uma vez a sua versão axé de “Shallow”, trilha sonora de “Nasce Uma Estrela”, mas logo em seguida engatou uma sequência matadora de clássicos do Babado Novo, como “Cai Fora”, “Eu Fico” e “Babado Novo”. “Saudade”, é claro, também foi apresentada logo no início, entretanto foi em um encontro com Tatau (que também assina a composição da música) que a emoção tomou conta. Claudinha e o ex-vocalista do Araketu dividiram os vocais da música, que já é um clássico, e protagonizaram um dos momentos mais marcantes do carnaval 2019.

>> Conversamos com Claudia Leitte antes da Pipoca começar! Assista aqui!

O sol estava a pino quando a Pipoca da Claudinha passou pela frente do Teatro Castro Alves e seguiu em direção à Piedade e a Praça Castro Alves. Falando em calor, esse não foi um obstáculo. Claudia Leitte – que já está mais do que acostumada com o sol de Salvador e longos percussos de carnaval – não parou nenhum minuto, assim como fez nos dias anteriores. Se ela fez uma pausa para tomar água ou ir ao banheiro, foi imperceptível. Não existe descanso e outros cantores em seu lugar, é sempre ela no comando! Mesmo com seus convidados, as meninas do The Voice Kids e a banda Preto no Branco, a voz de Claudia Leitte esteve sempre ali, presente.

Foto: Nara Fassi

Outro detalhe bastante marcante é o setlist. Acompanhei Claudia em três dias e, tirando seus clássicos que não podem deixar de ser executados, escutei três setlists diferentes. O catálogo dela, junto com o do Babado, é muito extenso e permite essa brincadeira. Por exemplo, na descida da Av. Sete de Setembro, próximo ao Relógio de São Pedro, ela cantou “Abraço Coletivo” que ainda não tinha sido tocada em nenhum dos outros dias.

“Caranguejo”, “Claudinha Bagunceira” e “Dekole”, a minha preferida, são catarse pura. É quando todo mundo se joga sem medo, pula e dança como se o dia não fosse ter fim. E foi justamente assim que a Pipoca chegou à sua apoteose. Aos gritos de “eu não vou embora”, Claudia Leitte estacionou seu mega trio elétrico na curva da Sulacap e cantou mais umas três ou quatro músicas para a multidão, já que não é permitido subir a Av. Carlos Gomes com som. Mas uma coisa eu garanto: se pudesse subir, ela tinha ido! Energia em cima e embaixo do trio não faltariam para voltar ao Campo Grande.

Foto: Nara Fassi

Hoje Claudia Leitte se despede do Carnaval de Salvador 2019 com o Bloco Largadinho, que fará seu desfile à tarde, no circuito Barra-Ondina. No próximo sábado, Claudinha levará o Largadinho para São Paulo.

Escrito por Mari Pacheco

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artistas e músicas pop inspiram fantasias no Carnaval

Ivete Sangalo se disfarça e curte o Carnaval de Salvador com o marido no meio da multidão!