(Foto: Reprodução Internet)
in ,

Caso DJ Ivis: “pela primeira vez, tomaram o posicionamento de proteger uma mulher”

O tema foi assunto do programa do POPline na FM O Dia desta semana

Como toda quinta-feira, o programa do POPline na FM O Dia desta semana (15) debateu os temas mais discutidos do momento. E, claro, o caso de agressão de DJ Ivis contra a ex-esposa, Pamella Holanda, e toda sua repercussão, não poderiam ficar de fora da roda. Além disso, demos o Primeiro Play exclusivo em alguns lançamentos mais aguardados, como o feat da Anitta com Rennan da Penha, “SexToU“.

Caso DJ Ivis

No último domingo (11), foi revelado um vídeo com cenas fortes do DJ Ivis agredindo sua esposa, Pamella Holanda, de 27 anos, na presença da filha bebê e da babá da criança. O caso repercutiu durante toda a semana e várias celebridades se manifestaram nas redes sociais em defesa da vítima.

DJ Ivis é preso por agressão à esposa
(Foto: Reprodução / Band)

O assunto foi pauta no programa da rádio, onde fizeram uma retrospectiva de tudo o que aconteceu até agora. Um dos apresentadores e criador do POPline, Flávio Saturnino, detalhou como tem funcionado a indústria musical do forró durante a pandemia: “os artistas principais do nordeste têm escritórios, a maioria dessas revelações (os novos nomes da música) fazem parte desses escritórios. O Xand Avião tem uma empresa chamada ‘Vibe’, que tem o DJ Ivis como um dos principais artistas.Vivy Tenório lembrou que Xand Avião foi o primeiro a quebrar o contrato: “foi o primeiro a se manifestar!“.

DJ Ivis. Foto: Twitter

Giordanna Forte se demonstrou positiva em relação a repercussão, que foi diferente dos últimos casos parecidos. “A gente já viu muitos famosos tomarem as mesmas atitudes e não dar em nada” Ela continuou:

Eu acho que, pela primeira vez, várias pessoas tomaram o posicionamento de proteger uma mulher que estava sendo agredida. Não só artistas, como grandes empresas, como grandes nomes da indústria musical que tão se posicionando pras pessoas começarem a entender que não dá mais!

Vivy acrescentou que, neste caso, não houve nenhuma pressão para que a indústria tomasse atitudes. “O Spotify, Deezer, de repente, até por conta de burocracia, eles demoraram acho que dois dias pra tomarem essa decisão de tirarem as músicas, mas não teve pressão, foi tudo muito natural”.

Ouça o programa completo

 

Escrito por Nicole Lopes

"Eu sempre vou apoiar Britney", diz Christina Aguilera

“Eu sempre vou apoiar Britney”, diz Christina Aguilera

Selim anuncia parceria com produtoras e foca na música urbana