Foto: Divulgação
in

“Carinhoso” chega ao topo e é a música mais gravada do Brasil

A música ultrapassou “Aquerela do Brasil”, de Ary Barrosso

O Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) fez um novo levantamento sobre as músicas brasileiras mais gravadas no Brasil e constatou que houve uma mudança na liderança desse ranking. A canção “Carinhoso”, de Pixinguinha e Braguinha, ultrapassou “Aquarela do Brasil”, de Ary Barroso.

Neste momento, “Carinhoso” tem 411 gravações cadastradas no banco de dados do Ecad, um dos maiores da América Latina, e é a música mais escolhida por intérpretes no país. Já “Aquarela do Brasil” tem 409. Em setembro de 2020, as duas músicas se igualavam no topo e lideravam a lista das mais gravadas, com 404 gravações cada uma.

Também estão entre as cinco primeiras colocadas “Garota de Ipanema”, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes (402 gravações), “Asa branca”, de Humberto Teixeira e Gonzagão (316 gravações), e “Manhã de carnaval”, de Luiz Bonfá e Antônio Maria (290 gravações).

Tom Jobim continua como o compositor que atualmente mais se destaca entre as 15 primeiras músicas do ranking, pois oito delas são de sua autoria. Além de “Garota de Ipanema”, estão na lista as músicas: “Eu sei que vou te amar”, “Corcovado”, “Wave”,  “Chega de saudade”, “Desafinado”, “Insensatez” e “A felicidade”.

Veja o ranking das 15 músicas brasileiras mais gravadas de todos os tempos:

1. “Carinhoso” (Braguinha/Pixinguinha) – 411
2. “Aquarela do Brasil” (Ary Barroso0 – 409
3. “Garota de Ipanema” (Tom Jobim/Vinicius de Moraes) – 402
4. “Asa branca” (Humberto Teixeira/Gonzagão) – 316
5. “Manhã de carnaval” (Luiz Bonfá/Antonio Maria) – 290
6. “Eu sei que vou te amar” (Tom Jobim/Vinicius de Moraes) -263
7. “Corcovado” (Tom Jobim) – 249
8. “Wave” (Tom Jobim) – 245
9. “Chega de saudade” (Tom Jobim/Vinicius de Moraes) – 240
10. “Desafinado” (Tom Jobim/Newton Mendonça) – 231
11. “As rosas não falam” (Cartola) – 220
12. “Insensatez” (Tom Jobim/Vinicius de Moraes) – 200
13. “O barquinho” (Roberto Menescal/Ronaldo Bôscoli) – 197
14. “O menino da porteira” (Luizinho/Teddy Vieira) – 191
15. “A felicidade” (Tom Jobim/Vinicius de Moraes) – 189

Em tempo…

Recentemente o Ecad fez um levantamento em seu banco de dados e constatou o aumento no número de seus arquivos no ano de 2020. O balanço mostra que as produções musicais e audiovisuais no Brasil não pararam, apesar das dificuldades impostas pelo coronavírus ao setor.

As obras musicais cadastradas no Ecad passaram de 12,5 milhões em 2019 para 14,5 milhões em 2020, o que equivale a um crescimento de 16%. Já a quantidade de músicas gravadas, que são os fonogramas, apresentou um aumento de mais de 30%. Atualmente são 11,5 milhões de fonogramas cadastrados, enquanto, em 2019, eram 8,4 milhões.

Escrito por Rafa Ventura

K-Pop: Jackson apresentará single “LMLY” na TV norte-americana

Alulu Paranhos: redes sociais como palco para criatividade

Alulu Paranhos: redes sociais como palco para criatividade