Bruno Mars vende parte do seu catálogo para Warner Chappell
Foto: Theo Wargo/Getty Images
in

Bruno Mars vende parte do seu catálogo para Warner Chappell

“Estamos apenas no início da jornada e há muito mais por vir”, diz Bruno Mars

O cantor e compositor Bruno Mars vendeu uma parte de seu catálogo de canções para a Editora Warner Chappell Music há mais de seis meses, de acordo com a Billboard que teve contato com fontes que confirmaram a informação pela empresa. Mars normalmente colabora com outros escritores, incluindo The Smeezingtons, mas apenas sua parte do catálogo da equipe estava à venda. Fontes indicam que a Mars não vendeu 100% de sua parte, retendo uma participação minoritária nas canções vendidas ao WCM.

O catálogo de Mars inclui sucessos solo como “Just The Way You Are”, “Grenade”, “Locked Out Of Heaven” e “The Lazy Song”, bem como faixas que ele co-escreveu e apareceu em, como “Nothin’On You” juntamente com de B.o.B e “Billionaire” ao lado de Travie McCoy. Seu catálogo também inclui várias co-autorias para outros artistas, incluindo “Fuck You” de CeeLo Green e “Rocketeer” do Far East Movement, entre outros. De acordo com a ASCAP e o sistema Songview da BMI, Bruno Mars tem participação em 232 músicas.

“Bruno é um gênio criativo e é uma grande honra aprofundar nosso relacionamento com ele”, disse Guy Moot, CEO da Warner Chappell, em um comunicado divulgado pela Billboard. “No centro de seus imensos talentos estão suas composições incríveis, que ele aperfeiçoou por anos antes de se tornar um superastro da gravação. Como apenas uma grande lata de verdade, ele dominou e transcendeu vários gêneros musicais com extraordinária originalidade e versatilidade. O mundo continuará a se apaixonar por suas canções para as gerações vindouras”, afirma.

De acordo com a RIAA, Mars é o primeiro artista a garantir cinco singles com certificado de diamante – 10 milhões de unidades de consumo de música equivalente: “Grenade” “Just the Way Your Are,” “That’s What I Like,” e “When I Was A Young Man,”, além de sua atuação em “Uptown Funk “, de Mark Ronson.

Comecei minha carreira na Atlantic e fazia sentido manter meu negócio em família, com a equipe que me apoiou e cresceu comigo“, disse Mars em um comunicado fornecido à Billboard pela Warner Chappell. “Este sou eu apostando com pessoas em quem confio. Estamos apenas no início da jornada e há muito mais por vir”, antecipa o artista.

Embora os termos da aquisição não sejam conhecidos, fontes dizem que o advogado de Mars, Scott Felcher, comprou o negócio. Outras fontes sugerem que Mars geralmente tem cerca de 40% das canções que aparecem em seu álbum; e algo em torno de 15% a 30% para músicas em que ele é o co-escritor.

Além disso, as fontes da Billboard indicam que Mars tem um acordo de co-publicação com a BMG, o que significa que ele provavelmente arrecada cerca de 75% da receita de sua parte nas músicas. Mars, como parte dos Smeezingtons, provavelmente também obteve alguns pontos de publicações em canções que escreveram e produziram para outros artistas, mas a Billboard não foi capaz de determinar se a participação de Bruno Mars nesse fluxo de renda também fazia parte do negócio. Como o lançamento da música do Silk Sonic ocorreu após a aquisição da Warner Chappell, é improvável que qualquer música que ele escreva para este projeto faça parte do acordo.

Embora Mars tenha um catálogo de canções procurado, alguns pretendentes em potencial provavelmente ficaram de fora da licitação porque, como um artista atual, o catálogo provavelmente tem canções de sucesso que ainda estão passando pelo “ciclo de decadência”, ou seja, os totais de fluxo ainda não chegaram ao status de catálogo, aponta a Billboard.

De acordo com site, os compradores preferem ofertas em músicas que estão no estágio de catálogo – portanto, não mais no estágio de sucesso do ciclo de vida de uma música – porque o histórico de renda das músicas do catálogo permite que os pretendentes prevejam melhor que streaming e outras atividades geradoras de renda das músicas irão produzir todo ano. Isso permite que os compradores projetem receitas realistas que são necessárias para avaliar a viabilidade financeira das aquisições de catálogo.

Em negócios que envolvem sucessos, os compradores de ativos geralmente não gostam de pagar múltiplos altos em catálogos com muitos sucessos atuais, normalmente avaliando esses ativos em um múltiplo de 12-15 vezes ao invés de 17-20 vezes e múltiplos ainda maiores no futuro, que icônicos canções de sucesso estão vendendo hoje em dia.

Com a música nas plataformas digitais, àquela canção que lembra bons momentos pode ser ouvida a qualquer instante. De “hits atemporais” o catálogo infinito de canções nos streamings, estão repletos de opções. E nos últimos meses, o mercado tem visto que os artistas que possuem álbuns e produções que são sinônimo de plays, independente do período, guardam um verdadeiro tesouro em uma indústria avaliada em bilhões de dólares. Conheça mais detalhes sobre esse mercado acessando aqui.

Escrito por Láisa Naiane

É o amor: Maiara e Fernando anunciam live especial de Dia dos Namorados

Leigh-Anne Pinnock primeiro filho

Leigh-Anne, do Little Mix, tem seu anel de noivado roubado