in ,

Beyoncé libera remix de “Break My Soul” com Madonna nas plataformas de áudio

Faixa foi compartilhada neste sábado (6) pela cantora; ouça!

Beyoncé e Madonna. Fotos: Divulgação

Está entre nós! Depois de “quebrar as redes sociais”, Beyoncé finalmente liberou o remix “Break My Soul (The Queens Remix)“, em parceria com ninguém menos que Madonna, nas plataformas de áudio, neste sábado (6). As duas das maiores cantoras do universo pop uniram forças num remix pra lá de especial para alavancar ainda mais o lead-single do álbum “RENAISSANCE”.

Beyoncé. Foto: Instagram @shopbeyoncé

Leia mais:

Á princípio, a releitura ficou disponível apenas para compra no site oficial de Queen B, causando um verdadeiro reboliço na BEYHIVE, a base de fãs da cantora de 40 anos. No entanto, não demorou muito para  que o trabalho chagasse, enfim, às plataformas digitais de streaming.

Para entender melhor, o remix foi anunciado esta sexta-feira (5). No entanto, “Break My Soul (The Queens Remix)” esteve disponível apenas para compra pelo valor de 1,29 dólares, na loja oficial de Beyoncé online. Embora, a faixa seja colaborativa, as cantoras não dividem vocais exatamente.

Foto: Graham Denholm / Getty Images

A nova releitura conta com sample de “Vogue”, um dos grandes clássicos da brilhante carreira de Madonna, e ainda cita diversas cantoras durante a letra como Rihanna, Aretha Franklin, Aaliyah, Nicki Minaj, Kelly Rowland, Grace Jones, Lizzo, Missy Elliot, Janet Jackson e tantas outras.

Sendo uma das faixas mais emblemáticas da carreira da Rainha do Pop,“Vogue” surgiu na sua trilha sonora “I’m Breathless”, de 1990, sendo posteriormente incluída em uma forma ligeiramente remixada e estendida na compilação “The Immaculate Collection”, do mesmo ano. A estrela foi inspirada pela dança de mesmo nome e coreógrafo da comunidade “House Ball”.

O single com sonoridades house e disco já conta com outras reinterpretações. Uma delas colocou Beyoncé ao lado de Will.I.Am, dos Black Eyes Peas. Outras versões contam com a participação de Terry Hunter ou Honey Dijon, por exemplo. Vale lembrar que, anteriormente, a diva pop também postou no Spotify uma versão acapella e uma outra instrumental do novo single.

No topo!

A maior! Sem surpreender ninguém, Beyoncé emplacou seu quarto álbum de estúdio no topo da parada do Reino Unido! É isso mesmo. É que o “RENAISSANCE”, mais recente disco da estrela, estreou diretamente na primeira posição do ranking, segundo atualização do Offical Chart. E, como não poderia ser diferente, várias músicas do trabalho entraram na parada de singles.

O aclamado sétimo álbum de estúdio da diva pop supera seu concorrente, vendendo o triplo de cópias do “Harry’s House”, de Harry Styles, nesta semana, que seguiu para o segundo posto – o disco estava dominando o tipo do chart há semanas.

Foto: Divulgação

Antes do “RENAISSANCE”, Queen B alcançou o número 1 com o debut “Dangerously in Love”, de 2003, com “4”, de 2011 e “Lemonade”, de 2016. Como membro do Destiny’s Child, a estrelam, de 40 anos, possui outro líder nas paradas com “Survivor”, de 2001.

Se não bastasse o topo com a estreia do novo trabalho,  três de suas músicas entraram no ranking de singles, o número máximo permitido pela regra, todas no Top 20. O hit “BREAK MY SOUL”, subiu quatro posições e chegou a #2, posto mais alto até agora com a faixa, ficando atrás apenas de “Afraid To Fell”, de LF System. “CUFF IT”, ficou em #14 e “ALIEN SUPERSTAR”, em #16.

Beyoncé tracklist
(Foto: Divulgação)

De acordo com a atualização desta sexta-feira (5), “RENAISSANCE” também lidera o chart Vinyl Albums Chart, provando o disco mais comprado no UK nesta semana. Com sua turnê After Hours til Dawn em andamento, a coleção de hits de The Weeknd, a “The Highlights”, em #4. Já Olivia Rodrigo retorna ao Top 5, na qinta posição com o álbum “SOUR”.

Escrito por Leonardo Rocha

Fãs do BTS promovem esquenta para "Bad Decisions" no Twitter

Benny Blanco, BTS e Snoop Dogg estreiam “Bad Decisions” no Top 10 do Spotify Global

Entrevista: “Compartilhar conhecimento foi o que me curou”, conta Clemente Magalhães

Entrevista: “Compartilhar conhecimento foi o que me curou”, conta Clemente Magalhães