Believe pretende levantar R$ 1,8 bi em abertura de capital
Foto: Logo Believe/Divulgação
in

Believe pretende levantar R$ 1,8 bi em abertura de capital

“Nossa ambição é nos tornarmos líderes globais no desenvolvimento de artistas e gravadoras independentes no mundo digital” diz CEO da Believe

A agregadora musical Believe lançou sua abertura de capital (IPO) e a negociação está programada para começar na Euronext Paris em 10 de junho. A empresa de música digital com sede em Paris planeja arrecadar cerca de € 300 milhões (cerca de R$ 1,8 bilhão) quando for a público.

No mês passado, a Believe sugeriu que levantaria até € 500 milhões com o IPO para impulsionar sua estratégia de crescimento. A empresa também tem acesso a uma linha de crédito de € 170 milhões.

A oferta pública foi lançada hoje (1º de junho) e está prevista para fechar em 9 de junho. As ações deverão estar na faixa de preço entre € 19,50 e € 22,50. Espera-se que o preço seja confirmado em 9 de junho, de acordo com o Music Week.

Denis Ladegaillerie, fundador e CEO da Believe, disse: “Nossa ambição é nos tornarmos líderes globais no desenvolvimento de artistas e gravadoras independentes no mundo digital. No primeiro trimestre de 2021, a Believe atraiu o maior número de artistas e gravadoras independentes desde sua criação. Nas últimas semanas, nos reunimos com vários investidores que entenderam por que a Believe está idealmente posicionada para se beneficiar da digitalização do mercado musical e do surgimento de artistas e gravadoras independentes”.

O CEO afirma que o Fons Stratégique de Participations (FSP) que vai investir € 60 milhões. “Esta transação visa construir uma base de acionistas sólida e equilibrada ao lado da TCV, nosso acionista histórico de longo prazo especializado em empresas de tecnologia, em um momento em que a Believe está acelerando seu desenvolvimento impulsionada por sua trajetória de crescimento lucrativo. Isso nos permitirá financiar nosso crescimento, em particular por meio de aquisições direcionadas”, afirma o executivo.

O profissional revela que a ambição da companhia é a de desenvolver uma plataforma tecnológica inovadora, com a melhor expertise digital do mercado, com equipes locais próximas a artistas e gravadoras independentes para construir com eles relações de confiança baseadas no respeito, transparência e justiça. “Participar deste IPO, o primeiro de uma empresa Next 401 [na França], é também um investimento no sucesso dos artistas e selos independentes de amanhã”, destaca Ladegaillerie.

Em tempo, a distribuidora independente TuneCore, e a agregadora Believe, fizeram parceria com o YouTube para fornecer música para a plataforma Shorts. Saiba mais detalhes acessando aqui.

Escrito por Láisa Naiane

Como o BTS pode se manter no topo da Hot 100? Billboard explica

Lulu Santos: “É necessário dizer ‘você não tira a minha alegria, nem meu direito'”