As Baías promovem "tapete vermelho" com pessoas trans em SP
(Foto: Saullo Moreira)
in ,

As Baías interrompem ações de novo single após assassinato de homem preto em Porto Alegre

Entenda o caso.

Em pleno 20 de novembro, Dia da Consciência negra, o grupo As Baías estava com planos completamente diferentes antes de saber do brutal assassinato de João Alberto Silveira Freitas em uma loja do Carrefour, em Porto Alegre. Com isso, o posicionamento foi de respeito. A divulgação do single “Onça/Docilmente Selvagem”, música feita para dar visibilidade à comunidade trans, foi interrompida.

Leia comunicado:

“Diante do assassinato de João Alberto no Carrefour de Porto Alegre, nós não prosseguiremos com as atividades propostas para o lançamento do nosso single. No dia da consciência negra, o mínimo que podemos fazer é concentrar nossa atenção e e ação para não deixar esse crime passar impune. Não é um caso isolado, é reincidente, é racismo”.

O crime

João Alberto Silveira Freitas, um homem preto de 40 anos, foi assassinado por um PM temporário em uma filial do Carrefour em Porto Alegre. Os agressores estão presos, até o momento.

Tudo aconteceu depois que a vítima teria discutido com um caixa do local e, então, encaminhado para o estacionamento. Lá, ele foi interpelado pelo PM que não estava em sua função, o que acabou na agressão fatal.

Vídeos estão circulando mostrando a agressividade. Por conta das imagens fortes, preferimos não divulgar.

Onça/Docilmente Selvagem

As Baías promovem "tapete vermelho" com pessoas trans em SP
(Foto: Saullo Moreira)

O trio As Baías segue explorando sua veia mais Pop na nova etapa de sua carreira e agora chega com uma música que também carrega um significado social e pessoal grande. A faixa chama-se “Onça/Docilmente Selvagem” e é uma parceria do trio com Linn Da Quebrada e chega com um videoclipe todo em preto e branco.

Com ares de filme de época, incluindo nos figurinos cheios de classe, o videoclipe de “Onça/Docilmente Selvagem” coloca em imagens a música, que é considerada um manifesto trans para o trio As Baías e para Linn da Quebrada.

Sim, eu acho que as pessoas em geral só querem agir de maneira oportuna e sensacionalista quando a pauta são as pessoas trans. Querem sempre nos associar a tristeza, falta de oportunidades, violência e a situações marginais. É como se os nossos “algoritmos”, já que essa é a palavra da vez, não pudessem ser associados a orgulho, vitória, realização empreendedorismo, obra de arte, família, amor, sucesso. E isso é alimentado por uma sociedade que quer sempre nos colocar coitadas ou criminosas”, explicou o trio em suas redes sociais.

Storytelling POPline

Quem acusa 2020 de ser um ano perdido, foi porque não prestou atenção no que o trio As Baías fez neste ano, ou melhor, nos últimos meses. Com o respaldo de gigantes da música e ciente do seu papel na indústria, o grupo efetivou uma guinada ao pop e, agora, protagonizam uma nova temporada do Storytelling POPline, que começou no dia 4 de novembro, com episódios novos todas as quartas-feiras.

Além de abordar as mudanças e revelar novidades sobre os próximos passos dos três, a série trará depoimentos de convidados especiais e importantes não só para o artista, mas para a música brasileira.

Escrito por Caian Nunes

Priscilla Alcantara dança (muito) e cai na noite em clipe

Priscilla Alcantara dança (muito) e cai na noite em clipe

Dia da Consciência Negra: artistas celebram data com músicas e clipes