in ,

Poderosa e sensual, Anitta lança o clipe de “Gata”

O videoclipe é o primeiro de três que antecedem o lançamento da versão deluxe do álbum “Versions Of Me”

Foto: Eduardo Bravin (Divulgação/Assessoria)

A espera finalmente parece estar acabando! Anitta lançou na tarde desta sexta-feira (5), o primeiro clipe de três, que serão lançados um a um, por semana, até que a versão “Versions Of Me (Deluxe)” seja disponibilizada na íntegra. Como havia sido divulgado por ela, um dos visuais seria da faixa “Gata”, lançada anteriormente e esse foi o clipe escolhido para dar início a nova etapa de divulgação do seu álbum.

Leia mais:

Foto: Eduardo Bravin (Divulgação/Assessoria)

A faixa traz como colaboração, o cantor porto-riquenho Chencho Corleone. No clipe, Anitta abusa da sensualidade e aparece com figurinos que lembram a personagem dos quadrinhos, Mulher Gato. Além disso, a direção é assinada pela cantora, juntamente com Giovanni Bianco, diretor criativo e parceiro de longa data da poderosa, responsável por videoclipes como “Bang”, “Essa Mina é Louca”, “Sua Cara” e  “Girl From Rio”.

“Me diverti muito gravando o videoclipe de ‘Gata’. Eu sei bem que essa é uma das favoritas dos fãs desde que o álbum saiu, então lançar esse clipe tem um sabor especial. O vídeo tem uma vibe mais dark e sensual, adorei incorporar essa personagem de mulher felina e poderosa. A Anitta desse universo é totalmente sem medo, determinada e autoconfiante, quase uma super-heroína mesmo”, revela Anitta.

“Gata” é o primeiro dos três videoclipes prontos que entrarão para o universo da nova versão do álbum “Versions of Me” em um período de três semanas. Nas próximas duas, Anitta deve disponibilizar os audiovisuais para as inéditas “Lobby”, em parceria com Missy Elliott e “El Que Espera”, sua colaboração com Maluma.

Escrito por Lucas Moraes

"A Casa do Dragão": série tem "cenas de sexo demais", avisa ator

“A Casa do Dragão”: série tem “cenas de sexo demais”, avisa ator

Relembre: Jô Soares entrevistou Gloria Perez, após o assassinado de Daniella

Em 1993, Jô Soares assinou documento de Gloria Perez por mudança nas leis penais