Foto: Reprodução Instagram (@britneyspears)
in ,

Amiga de Britney relata abusos que viu a cantora sofrer por parte do pai

Jacqueline Butcher disse que a estrela era chamada de “gorda e péssima mãe” por Jamie

O caso envolvendo a tutela de Britney Spears ganhou mais um capítulo nesta segunda-feira (5). Desta vez, Jacqueline Butcher, uma amiga próxima à cantora, revelou com detalhes o controle abusivo que testemunhou na época, com ofensas e xingamentos por parte do pai da cantora, Jamie Spears, que detém poderes sobre a vida da filha ao longo dos últimos 13 anos.

Vale lembrar que em 2008, Jacqueline serviu como uma das testemunhas para estabelecer a tutela da Princesinha do Pop. Agora, ela revela que se arrepende da decisão e decidiu falar sobre o que presenciou. “Eu achei que estava ajudando, e no fim fiz o contrário. Ajudei uma família corrupta a tomar todo esse controle“, iniciou ela, em entrevista ao site The New Yorker.

(Foto: Arquivo Pessoal)

Certa vez, a Britney estava de joelhos e tinha uma TV ligada por perto. Jamie disse: ‘Amor’. E eu pensei que ele iria dizer: ‘Nós te amamos, mas você precisa de ajuda’. Mas o que ele disse foi: ‘Você está gorda. Papai vai conseguir para você um personal trainer e uma dieta e você vai voltar à boa forma‘”, relatou.

No depoimento ao site, ela afirmou que esses abusos se deram na época em que Britney raspou a cabeça e saiu da reabilitação. Ela também disse que Jamie interferia diretamente no papel da diva como mãe. “Ele chegava bem perto do rosto dela, com saliva voando, dizendo a ela que ela era uma vadi* e uma péssima mãe. Quando a Britney queria ver os filhos, Lynne (mãe da cantora) só dizia: ‘Obedeça seu pai e eles vão te liberar'”, relatou a amiga. 

Britney Spears foi obrigada a fazer show com febre de 40ºC
(Foto: Getty Images / Uso autorizado POPline)

O testemunho de Jacqueline surge dez dias depois de Britney Spears detalhar com muita honestidade e clareza todo o controle abusivo, como ela mesmo definiu, que sofrera durante 13 anos, como a proibição de engravidar novamente e o uso de medicamentos como lítio, além de ser obrigada a trabalhar por dias sem direito a descaso. O caso ainda segue na justiça e cantora ainda pode ser ouvida novamente, só que, desta vez, pelo Congresso norte-americano.

Escrito por Leonardo Rocha

Salvador define evento-teste com 500 pessoas e projeta shows

Música Boa Ao Vivo: Gominho e Mari Gonzalez comandam transmissão digital