banner com link para rádio globo
Foto: reprodução - Instagram (@alok)
in ,

Alok é acusado de não pagar produtores de seus hits; DJ nega

Os brasileiros-americanos Sean e Kevin Brauer dizem ter trabalhado em pelo menos 14 músicas de Alok.

O DJ e produtor musical Alok foi acusado nessa sexta-feira (21), através de uma reportagem publicada pela Billboard, de não pagar os produtores brasileiros-americanos Sean e Kevin Brauer, dupla de irmãos conhecida como Sevenn, por seus supostos trabalhos em pelo menos 14 faixas, incluindo os hits “Fuego” e “Favela“.

Leia mais:

Segundo a publicação, os irmãos Brauer trabalharam como produtores fantasmas para Alok, sem receber nenhum crédito, royalties de publicação ou remuneração pelos serviços prestados. Além de descrever a situação como um “relacionamento comercialmente abusivo e unilateral“, a dupla também alega que criou o estilo deep-house Brazilian Bass.

A Billboard entrou em contato com Alok, que negou as acusações. Apesar de não responder a perguntas específicas feitas pela reportagem, conforme avisa o texto, a equipe de direção do brasileiro disse que Sean e Kevin buscam “criar uma falsa narrativa, tentando se apresentar como vítimas e litigar suas disputas com Alok na imprensa, bem como no tribunal da opinião pública“.

A resposta do DJ ainda informa que Alok possui “um processo em andamento contra o Sevenn no Brasil decorrente do fracasso do Sevenn em creditar e pagar o Alok por uma série de lançamentos do Sevenn“. Movida em 12 de janeiro num tribunal civil de São Paulo, a ação foca cinco faixas do artista, incluindo uma parceria com o DJ europeu Tiësto. No entanto, o advogado dos irmãos Brauer, Eduardo Senna, disse que este processo é falso.

Ainda de acordo com a matéria, se as alegações do Sevenn forem verdadeiras, eles deveriam ter ganho cerca de US$ 263.000 até o momento – US$ 223.000 em royalties de publicação e outros US$ 40.000 em taxas do produtor – somente no Spotify. A estimativa pode aumentar para mais de US$ 1,3 milhão quando os royalties em outros serviços digitais e rádio são levados em consideração, isso sem mencionar as vendas globais.

Foto: Jean Flanders

Alok se manifesta nas redes sociais

Através de uma série de stories postados hoje (21) por Alok em seu perfil oficial no Instagram, o DJ se defendeu das acusações e rebateu diversos pontos da denúncia, apresentando prints de conversas com os irmãos Brauer no WhatsApp para sustentar seus argumentos. “Veio ao ar agora há pouco uma matéria na Billboard que me ataca bastante, mas pra mim não é uma surpresa, até porque eu já sabia que ela ia ao ar. Eu já venho sendo ameaçado por ela há um bom tempo“, começou o brasileiro.

Eu não vou ceder a nenhum tipo de ameaça, até porque eu não tenho nada a esconder“, declarou Alok.

Foto: reprodução – Instagram (@alok)

Alok disse que os irmãos sempre foram grandes parceiros seus, porém estão sendo mal direcionados nesta situação. O DJ ainda revelou que nunca recebeu qualquer tipo de notificação deles sobre direitos autorais. “Eu produzo música desde meus 12 anos e nunca tive problema com ninguém“, pontuou.

Em seguida o DJ mostrou arquivos originais em seu computador de músicas que Sean e Kevin afirmam serem os verdadeiros produtores. “Eu posso provar que fui eu que fiz“, disse Alok. Ele também mostrou o projeto original de “Fuego“, que os irmãos alegam ter tido envolvimento na faixa. “Nunca teve nenhum tipo de dedo, de colaboração do Sevenn“. rebateu o DJ.

Depois, Alok explicou que apenas enviava as músicas prontas para a dupla masterizar no formato das plataformas digitais, e que eles inclusive disputavam internamente para ver quem iria fazer isso (já que havia um pagamento por cada masterização).

Foto: reprodução – Instagram (@alok)

Depois, o DJ comentou um trecho da matéria que mencionava a mão dos irmãos Brauer, destacando sua boa relação com ela, além de revelar que havia oferecido ajuda a eles durante a pandemia já que o setor de shows estava parado por conta das restrições de saúde.

Posteriormente, Alok rebateu a alegação de que o Sevenn criou o estilo deep-house Brazilian Bass. O DJ mostrou uma música que criou há mais de 10 anos, bem antes da dupla embarcar nesse gênero. “Eu conheci eles e eles faziam outro tipo de música EDM. Eu já faço Brazilian Bass há muito tempo, muito antes de conhecer eles“, disse.

Eles tão querendo falar que o meu sucesso é graças a esse estilo de som, que fez muito sucesso lá fora. Que eles que me ensinaram a fazer isso, mas é uma parada meio sem lógica e muito subjetiva. Eles só tiveram acesso a esse tipo de som porque eu apresentei a eles. (…) Quando eles me conheceram eles falaram assim ‘caraca, a gente adora esse estilo que você tá fazendo, a gente faz outro estilo, mas a gente quer também fazer’“, argumentou Alok.

O DJ também revelou que, no ano passado, a dupla de irmãos entrou em contato com ele para produzir novas músicas. “Como é que uma pessoa que não é creditada insiste em fazer música com alguém que não credita ela?“, questionou. “Não faz sentido“, acrescentou.

Por fim, Alok diz que o real motivo de toda essa confusão é o fato dele ter rescindido seu contrato com o empresário Marcos, da AudioMix. Ele afirma que, desde então, vem sendo perseguido e ameaçado pelo empresário, que não aceita o término do contrato. “Eu sempre fui um cara que admirei muito o Sevenn, admirei muito o trabalho dele, e fico triste com o que está acontecendo. Mas eu sei que no fundo não são eles. (…) Eu sei que eles estão sendo usados como instrumento para de alguma forma tentar me atacar“, finalizou.

Escrito por Giovanni Oliveira

No BBB22, Eliezer pergunta: “É errado falar ‘aquele cara que é mulher?'”

BBB22: Jade Picon conta que look da final foi barrado pela produção