Agnes Nunes. Foto: Divulgação
in ,

Agnes Nunes abre o diário e canta a necessidade de se reconstruir em novo clipe, “Hiroshima”. Assista!

No hit, lançado nesta sexta-feira, a cantora se reconstrói, assim como a cidade ataca por bombas nucleares

Toda viagem que fazemos carregam uma pouco de nossas histórias. É com esse pano de fundo que a cantora Agnes Nunes lança nesta sexta-feira o clipe de “Hiroshima”, com exclusividade para o POPline. O ht faz parte do álbum do EP “Romaria”, que traz nos títulos das músicas uma sequência de nomes de lugares por onde ela passou ou gostaria de passar.

A trip começa a partir das desilusões amorosas pessoais de Agnes e de histórias que ouve e lê por aí. Tudo é material para uma nova canção. No EP, a jovem artista canta sobre a aventura de se relacionar em tempos moderno, com amores líquidos, e os encontros e desencontros de
grandes metrópoles como “São Paulo”, “Lisboa” e “Rio de Janeiro”.

O single, que chega às plataformas à partir das 18h, é única música escrita no isolamento social, durante a pandemia do novo coronavírus, e traz toda a introspecção da cantora vivida nesse período. “E eu que já morri umas quatro vezes / Esse ano e não foi nada, não sinto nada / E você que sempre chora e grita, toda vez quando o som acaba / Silêncio invada”, entoa ela no hit.

 

Agnes Nunes. Foto: Divulgação

A metáfora surge através da tragédia Oriental. Assim como Hiroshima foi reconstruída depois da bomba atômica e se tornou uma metrópole industrial, Agnes Nunes aponta para uma saída de reconstituição de afetos. “Ainda não tive a oportunidade de conhecer o Japão, mas acho que o lugar se enquadra no momento que estamos vivendo. Precisamos nos ouvir mais, preservar a nossa essência e reinventar os nossos cacos, sem nos cortar com o que restou”, declara ela, que, com a história, concretiza a quarta faixa o EP “Romaria”.

Agnes Nunes. Foto: Divulgação

Escrito por Leonardo Rocha

Ovos mexidos e corações partidos: a receita do sucesso?

Ludmilla será técnica do "The Voice" para maiores de 60 anos

Ludmilla será técnica do “The Voice” para maiores de 60 anos