in ,

Clássico das HQs, “A Morte do Superman” ganhará edição especial

Intitulado “The Death of Superman 30th Anniversary Special”, o quadrinho trará quatro histórias inéditas

Foto: DC Comics

Em janeiro de 1993, a DC Comics chocou o mundo ao publicar “A Morte do Superman“, uma história que rapidamente se tornaria um dos maiores clássicos das HQs. O acontecimento, que teve ampla repercussão internacional como nunca visto, foi iniciado em novembro do ano anterior. A revista que trazia, de fato, a derradeira batalha do amado herói, considerado um verdadeiro símbolo da cultura ocidental, vendeu mais de 6 milhões de cópias. Agora, este icônico evento ganhará uma edição especial, em celebração aos 30 anos de sua publicação original.

Foto: DC Comics

Leia mais:

Intitulado “The Death of Superman 30th Anniversary Special“, o quadrinho trará quatro histórias inéditas que vão explorar o impacto duradouro que a morte de Clark teve em sua família e amigos. Além disso, a edição irá contar com nove pin-ups e capas variantes de alguns dos principais nomes nos quadrinhos.

Foto: DC Comics

Para a alegria dos fãs, a DC reuniu a equipe original de “A Morte do Superman” para essa nova edição! Portanto, estão confirmados: Dan Jurgens e Brett Breeding; Roger Stern e Butch Guice; Louise Simonson e Jon Bogdanove; e Jerry Ordway e Tom Grummett.

Todos esses anos depois, é um grande prazer voltar a se reunir com as equipes criativas originais da história para celebrar um momento realmente emocionante nos quadrinhos. Para aqueles de vocês que se lembram daqueles dias, o Especial de 30º Aniversário da Morte do Superman irá reacender algumas memórias. Para aqueles que não estavam por perto para experimentá-lo, bem… esperamos que você tenha uma dica de como era“, disse Dan Jurgens num pronunciamento oficial.

Foto: DC Comics

Confira abaixo mais detalhes sobre as histórias inéditas de “The Death of Superman 30th Anniversary Special“:

– “The Life of Superman” por Dan Jurgens, Brett Breeding, Brad Anderson e John Workman – Um jovem Jon Kent descobre na escola que seu pai havia morrido anos antes, como seus pais nunca lhe contaram sobre aquele dia fatídico. No meio de lidar com essa notícia emocional, Jon e Clark precisam se unir para lutar contra um novo vilão conectado ao Apocalypse chamado DOOMBREAKER.

– “Standing Guard” de Roger Stern, Butch Guice, Glenn Whitmore e Rob Leigh – A batalha épica entre Superman e Doomsday da perspectiva dos Guardiões.

Foto: DC Comics

Leia mais:

– “Time” de Louise Simonson, Jon Bogdanove, Glenn Whitmore e Rob Leigh – A história de como a morte do Superman parecia da perspectiva de John Henry Irons.

– “Above and Beyond” de Jerry Ordway, Tom Grummett, Doug Hazlewood, Glenn Whitmore e Rob Leigh – Uma história poderosa do Senhor e Senhora Kent assistindo seu filho lutar contra o Apocalypse ao vivo na televisão e folheando os álbuns de fotos de Clark com a sensação de que seu filho sempre prevalece.

Como foi a morte do Superman?

Força sobre-humana. Super velocidade. Visão de calor e raio-x. Super sopro. Super audição. Habilidade de voar. Com tantos poderes assim, não é difícil entender porquê o Superman é considerado um dos heróis mais fortes dos quadrinhos; e muitas vezes, imbatível. Contudo, no início da década de 1990, a DC Comics provou que seu maior personagem não era, de fato, invencível.

Foto: Jamal Campbell – DC Comics

O desenvolvimento da trama teve início em 1991, por conta de um imprevisto. Na época, os roteiristas do personagem planejavam apresentar ao público o casamento de Clark Kent e Lois Lane; enquanto simultaneamente, Hollywood havia dado sinal verde para a produção da série “Lois & Clark: The New Adventures of Superman“.

Como as vendas da revista do Superman não iam tão bem, mesmo ele sendo o super-herói que mais vendeu HQs na história até hoje, com cerca de 600 milhões de cópias vendias; Jenette Kahn, presidente da DC na época, e o roteirista Mike Carlin achavam que seria uma boa ideia sincronizar o matrimônio do herói nos quadrinhos e na TV. Porém, não havia uma previsão para isso acontecer na série, então a trama precisou ser suspensa temporariamente na revista.

Foi então que surgiu a ideia de matar o último filho de Krypton! A premissa era bem simples, inclusive: um novo vilão, chamado Apocalypse, entraria em conflito com o Superman, bem no centro de Metrópolis, até que os dois terminassem a luta sem vida.

Foto: Walter Simonson – DC Comics

Quando a mídia do mundo real teve acesso à novidade, antes mesmo da publicação da história, deu início a uma intensa cobertura, como jamais ocorrera com nenhum outro personagem dos quadrinhos. Até o “Fantástico“, da Rede Globo, noticiou o fato! Quando enfim o gibi chegou nas prateleiras, os fãs e curiosos formaram filas imensas ao redor de bancas e lojas especializadas. Muitas pessoas, aliás, faltaram na escola e em seus trabalhos, tudo para garantir uma cópia do quadrinho.

A história foi muito elogiada pela crítica especializada, e posteriormente, o Superman voltou à vida. No entanto, o mundo da nona arte nunca mais foi o mesmo! Ainda na mesma década, outros heróis da DC viveram momentos tensos: o Cavaleiro das Trevas, por exemplo, apanhou feio do Bane em “A Queda do Morcego” (1993); e o Lanterna Verde quase perdeu o rumo em “Crepúsculo Esmeralda” (1994), após ter sua cidade totalmente destruída.

Escrito por Giovanni Oliveira

Ciro Gomes revela "chateação" por não ter o voto de Anitta

Ciro Gomes revela “dor de cotovelo” por não ter o voto de Anitta

Giovanna Lancellotti recebe críticas após vídeo com macacos

Giovanna Lancellotti recebe críticas após vídeo com macacos