Retrospectiva: Coldplay, Alicia Keys, Fergie, Robbie Williams e Shakira entre os entrevistados internacionais do POPline em 2016
Em 22/12/16 às 16:38 Por: Leonardo Torres | Entrevistas, Yeah! +POPLine

2016 foi um ano de grandes entrevistas para o POPline! Além do bate-papo de sempre com os artistas nacionais, o portal conseguiu falar – seja pessoalmente ou por telefonema – com grandes astros internacionais. Já em março, rolou uma entrevista exclusiva com Chris Martin, do Coldplay. Lembra? Ele estava a caminho do Brasil para dois shows e deixou no ar se a banda faria outro álbum ou não no futuro. Coldplay estava mais empolgado para falar sobre a turnê, que, no Brasil, já tinha ingressos esgotados.

“Já estivemos no Brasil tantas vezes e a maioria das pessoas te dirão a mesma coisa sobre a América do Sul. As pessoas daí fazem você se sentir como parte do povo, é uma sensação maravilhosa. Não sei exatamente o que acontece, mas é algo relacionado ao comportamento das pessoas quando estão juntas em grupos, como em jogos de futebol e shows… Vocês sabem como se divertir! Quando você é inglês, como eu, nem sempre você saberá como se divertir. Haha” – Chris Martin.

chris-martin-coldplay

Em maio, foi a vez de entrevistar a cantora mexicana Dulce María, que lançava o single “No Sé Llorar”, e o cantor dinamarquês Lukas Graham, da banda homônima, que bombava com “7 Years”. Ele contou que tem um relacionamento estreito com o país, em especial com o Rio de Janeiro.

“Eu gosto muito do baile funk [fala em português “baile funk”]. Gosto de forró, também. Sim! (risinho) Eu estive no Brasil há sete anos, quando comecei a escrever músicas. Fui na “Semana Santa” [também fala em português]. Fiquei no Rio de Janeiro, em Copacabana, na rua Paulo Freitas, e passei algum tempo lá. Assisti ao jogo de futebol entre Flamengo e Fluminense, era uma final, foi muito legal” – Lukas Graham.

lukas-graham-photo-credit-danny-clinch

Nos meses seguintes, o POPline falou com a dupla 3OH!3, que fazia seu retorno; a cantora Alessia Cara, revelação do mercado pop; e o DJ Lost Frequencies, que estava com uma turnê agendada no Brasil. Em outubro, o portal pôde entrevistar o colombiano J. Balvin pela segunda vez, mas foi em novembro que rolou algo muito especial: um encontro com a Alicia Keys em Nova York, durante a divulgação do álbum “Here”. Ela falou bastante sobre seu trabalho nas músicas novas, respondeu sobre política, seu diário pessoal, o clipe engavetado com Beyoncé e sua experiência no Brasil.

“Ah, eu amo a arte de rua no Brasil. Amava poder andar na rua e ver graffitis magníficos. Amei a comida, amei o espírito do povo, e a praia, ia à praia o tempo todo que via uma no Brasil. Eu iria à praia o tempo todo, porque eu amo praia” – Alicia Keys.

alicia-keys

Ainda em novembro, o portal entrevistou JoJo sobre seu primeiro álbum em dez anos e Zara Larsson sobre seu próximo disco, seu ativismo feminista e sua paixão por Beyoncé. Para terminar o ano, mais, mais e mais! Dezembro começou com um bate-papo incrível com a cantora Fergie sobre “Double Dutchess”, seu próximo disco. Durante a entrevista, surpreendentemente, ela falou sobre Anitta.

“Eu gravei um clipe para uma música chamada “Just Like You”, sobre uma relação infeliz. Giovanni Bianco está envolvido, e Bruno [Igloti] também. É o diretor que fez um clipe da Anitta, na verdade, alguns clipes da Anitta, que eu amei. Eu amo Anitta. Amo eles trabalhando juntos. Sim, eles também dirigiram o ensaio fotográfico para o encarte do meu álbum, então vocês vão ter mais da minha parceria com Giovanni Bianco em breve” – Fergie.

fergie-milf-thatgrapejuice

Também teve entrevista com Bebe Rexha sobre a preparação de seu disco, e com o Robbie Williams, lançando o “Heavy Entertainment Show”. Ele revelou que sua equipe está em negociações com produtoras brasileiras para trazer sua turnê para cá (ele não vem há dez anos) e falou abertamente sobre problemas de saúde mental – em decorrência da visibilidade dada ao tema por Demi Lovato, Lady Gaga e Selena Gomez.

“Eu acho que isso culturalmente só se tornou mais aceitável e mais compreensível agora, coisa que não acontecia dez anos atrás, sabe? As pessoas não tinham essa compreensão sobre o que era aquilo ou porque aquilo acontecia. Isso fez com que eu me sentisse mais isolado porque as pessoas diziam “você é um popstar, é cheio da grana e ainda fica infeliz com o quê?”. Isso fez com que eu me refugiasse cada vez mais em mim mesmo e foi uma coisa que complicou ainda mais as coisas para mim. Mas acho que, culturalmente, andou acontecendo uma mudança ao redor do mundo sobre o quanto as pessoas entendem sobre saúde mental e elas se tornaram mais abertas ao tema, o que é um alívio para mim, levando em conta o fato de eu ter, entre aspas, sofrido depressão” – Robbie Williams.

robbiewilliams

Em dezembro, também foi a ver do POPline conversar com Shakira por telefone, em decorrência do sucesso de “Chantaje”. Supersimpática, ela falou em português durante toda a ligação e deixou no ar quase uma promessa de voltar ao Brasil para shows.

“Eu tenho muita saudade de vocês, e gostaria de voltar em breve. Eu acho que, na próxima volta, já será com uma turnê de shows para cantar para todos vocês brasileiros. Estou com um grande desejo de sair em turnê ano que vem e voltar ao Brasil pra cantar para o meu público brasileiro” – Shakira.

shakira

Agora, vem 2017!



Relacionados Recentes

"Tenho meu empresário, minhas músicas, e quero ser reconhecida por isso".
"Tenho curiosidade para conhecer cantores e músicos brasileiros".
ShopLine