Rebecca Ferguson desiste de cantar na posse de Donald Trump
Em 10/01/17 às 12:35 Por: Caian Nunes | Rebecca Ferguson, Yeah! Notícias

Rebecca Ferguson desistiu de cantar na cerimônia de posse do novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. O motivo da decisão foi que ela não seria permitida a cantar a música “Strange Fruit”, que é contra o racismo.

A ex-participante do “The X Factor UK” tinha aceitado participar do evento com a condição de cantar o clássico de Billie Holiday, que é um protesto aos linchamentos de afro-americanos na década de 1920 e inspirada no poema de mesmo nome escrito pelo professor Abel Meeropol.

Depois da desistência, Rebecca publicou uma carta aberta sobre o assunto. Leia na íntegra:


“Devido às circunstâncias fora do meu controle sobre o convite para performar no no show da posse, fui jogada no meio de uma arena política na semana passada.

Eu não estava confortável com a escolha da música feita em meu nome, e embora eu tenha sido muito abençoada por ter um presente que me dá oportunidades incríveis, como uma mãe e uma artista, eu tive que defender a minha posição. É por isso que eu tomei a decisão de cantar ‘Strange Fruit’ quando fui convidada.

Eu pedi para cantar ‘Strange Fruit’, pois senti que era a única música que não comprometia minha integridade artística e também como alguém que tem muito amor por todas as pessoas, mas tem uma empatia especial também para os afro-americanos e movimento #blacklivesmatter, eu queria criar um momento de pausa para as pessoas a refletirem.

Acredito que o talento é um dom que deve ser usado para curar as feridas deste mundo e fazer dele um lugar melhor para viver. Como a música é tão poderosa, eu queria tentar ajudar a educar as pessoas sobre onde a divisão e a separação podem levar se não corrigido. Meu objetivo não era causar contenção.

Orgulho e ego é o que precisamos conquistar neste mundo. Fui abençoada por ser convidada para o Vaticano no mês passado e uma coisa que eu fiquei refletindo sobre, foram todas as coisas que separam os seres humanos uns dos outros. Muitas vezes é o orgulho e a incapacidade de aceitar as pessoas por exatamente quem elas são. Estamos aqui para amar, não julgar, ou levar as pessoas para baixo.

Eu acho que o amor é maior do que qualquer coisa que nos separa um do outro, pode nos curar nestes tempos de agitação turbulenta.

Há muitos detalhes obscuros sobre esse convite que eu sou incapaz de compartilhar agora, mas eu não vou cantar. No entanto, eu realmente desejo mais amor. Gostaria também de prestar homenagem a algumas de suas grandes artistas: Nina Simone, Billie Holiday, e a corajosa e notável Eartha Kitt e sua bela história.

Eu tenho muito amor pelos Estados Unidos. É uma fonte constante de inspiração para mim, se não para o mundo inteiro. Eu realmente desejo a todos vocês bem e espero que eu ainda cante ‘Strange Fruit’ para vocês um dia.”

Escute “Strange Fruit”:



Relacionados Recentes

Esse é o primeiro single do seu quarto álbum.
Cantora se encaminha para seu quarto disco, mais forte e segura.
ShopLine