Os 20 melhores clipes do segundo semestre de 2016
Em 08/01/17 às 13:19 Por: Leonardo Torres | Buzz, Yeah! +POPLine

O POPline esperou até o último dia de 2016 para elaborar seu ranking de melhores clipes do segundo semestre do ano: vai que saía alguma surpresa (a cena pop é dessas!). Com isso, a primeira semana de 2017 foi de votação interna, discordâncias e argumentações para chegar ao Top 20 que você verá a seguir.

Cada membro da equipe enumerou dez clipes em um ranking individual (que aparece no fim da matéria). Para esses dez, foram atribuídos pontos decrescentes. A somatória de todas as listas pessoais gerou o Top 20 coletivo. Veja e dê sua opinião: quais foram os melhores para você? Faltou algum na lista?

20) SHAKIRA FEAT. MALUMA – Chantaje
Demorou um pouco, mas Shakira trouxe o hit latino do ano, “Chantaje”. Para a faixa, a colombiana chamou seu conterrâneo Maluma para mais um show de sensualidade e muita dança no clipe lançado em novembro. – Ricardo Oliveira

19) ZARA LARSSON – Ain’t My Fault
Quem diria que uma das maiores revelações do ano seria a sueca Zara Larsson. Com uma música pop grudenta, a loira bota todo mundo para dançar em uma coreografia a là Beyoncé. Que 2017 seja dela! – Ricardo Oliveira

18) DUA LIPA – Be the One
Dua Lipa ganhou espaço em 2016. Com uma carreira recente, ela consegue reunir um material audiovisual de dar inveja a muita(o) popstar de longa data. E “Be The One” é mais um clipe que confirma o poder visual de Dua. Direção afiada, cortes bem programados, locações belíssimas, fotografia e movimentações de câmera impecáveis, figurinos modernos e fashionistas, um roteiro misterioso e o galã queridinho da nova geração: Ansel Elgort. Tudo que um bom clipe pop tem que ter. Acompanhado de uma ótima trilha sonora e uma cantora que sabe se portar frente as lentes. 2017 promete ser bastante movimentado pra Lipa… – Pedro Myguel

17) ALICIA KEYS – Blended Family
Alicia Keys é uma cantora recatada, pouco expõe a vida particular e coloca seus pensamentos e ideologias na música. Para celebrar o amor sem fronteiras, sem laços sanguíneos e cor, a artista abriu as portas e mostrou cenas íntimas em preto e branco em companhia dos filhos, marido e enteado, além de outras famílias incluindo também a do rapper A$AP. Rocky. – Amanda Faia

16)KAROL CONKÁ – Maracutaia
A participação dos atores Lázaro Ramos e Taís Araújo chega a ficar em segundo plano, quando temos Karol Conka arrasando nos visuais. Nossa maior artista feminista da música brasileira atual explora, sempre de forma bem forte, diferentes visuais, que chegam até a nos lembrar looks dignos de Drag Queens. – Kavad Medeiros

15) TIAGO IORC – Bang
Como não se apaixonar por um clipe todo feito em luz negra evidenciando uma classe e Tiago cantando um dos maiores sucessos de Anitta em voz e violão? Quando o artista se propõe a mudar a cara completa de um hit, praticamente se apropriar dele dando sua própria interpretação e entregando um resultado inesperado, tem que entrar para a lista sim. – Amanda Faia

14) BANDA UÓ – Cremosa
O que acontece quando você pega o grupo mais irreverente e divertido do país e o junta com os maiores clichês da televisão brasileira (e o É O Tchan)? Isso mesmo: Cremosa. O videoclipe da Banda Uó é divertido além de possuir uma estética bonita e bem oitentista/noventista. Destaque para os erros de gravação do final. Garantia de sorrisos despretenciosos. – Kavad Medeiros

13) KANYE WEST – Fade
Para o vídeo de uma música dançante que contagia até os haters, Kanye West trouxe Teyana Taylor para um contexto de ‘Flashdance’ e criou uma nova obra-prima. Num ano de clipes previsíveis, “Fade” destoou. – Bernardo Sim

12) EMICIDA FEAT. DRIK BARBOSA, AMIRI, RICO DALASAM, MUZZIKE & RAPHÃO ALAAFIN – Mandume
Os versos de “Mandume” já são um soco no estômago, de tão reais, crus e necessários. Com o clipe, o rapper conseguiu tornar a mensagem ainda mais clara, com uma reunião diversa de negros. Não deixa nada a dever a “Formation”, de Beyoncé, que tem a mesma pegada sociopolítica de empoderamento e combate ao racismo. Destaque para a cena da banda de jornais. – Leonardo Torres

11) SIA – The Greatest
O clipe “The Greatest” não foge do conceito de outros conhecidos da Sia, como “Chandelier” ou “Elastic Heart”. A já conhecida Maddie Ziegler volta com suas danças conceituais, mas dessa vez acompanhada de outros 49 dançarinos, homenageando as vítimas do atentado à boate Pulse, em Orlando. Esse fato dá ao clipe uma grande importância, exaltando a diversidade. Impactante e histórico, Sia conseguiu fazer uma homenagem sem precisar entrar nos clichês, fazendo um vídeo que é divertido, apesar do final dramático. – Caian Nunes

10) KATY PERRY – Rise
O paraquedas que pode tanto te fazer voar quanto te impedir de ir adiante é uma ótima metáfora. Katy lançou a música e o clipe como estímulo para os atletas nas Olimpíadas: há muito obstáculos no caminho, mas com persistência dá para encontrar forças dentro de si para superá-los. É muito interessante que seja uma curva na videografia de Katy, em termos de cores, figurinos, visagismo, figurantes… e possivelmente um dos mais difíceis de gravar. Valeu a pena. – Leonardo Torres

09) LADY GAGA – Perfect Illusion
Gostando ou não, Lady Gaga sabe se recriar. Inovar, independente da opinião do público, é seu ponto forte. Sair da zona de conforto é uma das provas de que ela é uma das artistas mais completas dos últimos anos. Ela poderia manter as influências que a colocaram no topo no fim da década passada, mas sabe que é artificial e prefere escolher outros caminhos – ainda que sofra rejeição de parte do seu público por isso. – Flávio Saturnino

08) LITTLE MIX – Shout Out To My Ex
O primeiro videoclipe da era Glory Days mostrou um Little Mix bem mais sensual (levando até à desaprovação de Mel C, das Spice Girls). A música é uma verdadeira ode feminista adolescente, que sofre pelos namorados perdidos. O clipe vem com imagens bem quentes, típicas do verão, com uma fotografia bem característica e bonita. Foi a forma perfeita do grupo mostrar que ainda é muito forte e que não vai parar tão cedo. – Kavad Medeiros

07) TROYE SIVAN – Blue Neighbourhood Trilogy
Troye Sivan fez um trabalho primoroso na “Blue Neighbourhood Trilogy”. Praticamente um curta-metragem com a junção de três ótimas músicas (“WILD”, “FOOLS” e “TALK ME DOWN”), ele usa a temática da homossexualidade de maneira sensível e singela, aplicando uma narrativa onde a relação de amizade vem da infância, passando pelo conflito com os pais e terminando em uma tragédia. O grande trunfo do projeto é fugir de estereótipos, muito comum quando se trata desse tema. Os personagens são desenvolvidos de maneira delicada e cuidadosa, causando identificação ao público. Não é qualquer clipe com mais de 12 minutos de duração que prende a atenção como esse. Troye pode tentar fazer clipes mais comerciais como “YOUTH”, mas a grande obra dele continuará sendo a trilogia. – Caian Nunes

06) BEYONCÉ – Hold Up
Acredito que, de todo o álbum visual “Lemonade”, a cena de Beyoncé de vestidinho amarelo quebrando a janela do carro com um taco de basebol seja a mais marcante. É um segmento que já nasceu icônico para o universo da música pop. Não há imagem que supere essa em 2016. – Leonardo Torres

05) THE WEEKND – Starboy
Quando um artista possui um álbum inteiro considerado uma obra completa e bem sucedida, a pressão para que o próximo disco mantenha o nível ou supere vem de todos os lados. Certamente The Weeknd sentiu isso quando iniciou os trabalhos de “Starboy”, sucessor de “Beauty Behind The Madness”. Mas como dar errado um primeiro single que tem produção de Daft Punk e um clipe em que ele enterra sua personalidade passada, destrói suas conquistas anteriores e se rebela? Abel pode ser novo para muita gente, mas tem vidão de veterano. – Amanda Faia

04) BRITNEY SPEAR FEAT. TINASHE – Slumber Party
Como é bom ver a Britney em forma! Dançando pra caramba, mostrando que seu sex appeal não tem data de validade. A segurança dela é tanta que não se preocupou em minimizar o espaço da Tinashe: a novinha energética pronta pra dominar o mundo e ser a próxima grande diva. – Flávio Saturnino

03) ARIANA GRANDE FEAT. NICKI MINAJ – Side to Side
Só pela parceria entre Ariana Grande e Nicki Minaj, “Side To Side” já cheirava a sucesso há muito tempo, mas o clipe lançado em agosto de 2016 catapultou o hit a um outro nível. O terceiro single de “Dangerous Woman” ganhou a cara que merecia: Hot! Quem aí não saiu dançando ao ritmo da “bicicletinha”? Depois de quase cinco meses no ar, “Side To Side” já soma mais de 645 mil visualizações no YouTube e o single alcançou boas colocações nos charts de todo o mundo, incluindo o #1 na Pop Songs e o #4 na Billboard 100. – Mari Pacheco

02) FERGIE – M.I.L.F. $
O primeiro dia do segundo semestre de 2016 já chegou mostrando que seria bombado. Depois de muitas promessas, Fergie finalmente lançou o clipe de M.I.L.F $ e arrastou um esquadrão de mulheres poderosas. Além da própria vocalista do Black Eyes Peas, o vídeo conta com Ciara, Kim Kardashian, Chrissy Teigen e outras. – Ricardo Oliveira

01) ANITTA FEAT. MALUMA – Sim ou Não
Anitta em seu auge. Iniciando sua carreira internacional em parceria com Maluma, da Colômbia, a cantora carioca mostrou o que sabe fazer melhor: coreografias e muita, muita sensualidade. O clipe segue os moldes já consagrados internacionalmente: festa na boite, sensualização com o rapper, figurinos extravagantes e muita coreografia. É a nossa maior popstar da atualidade mostrando os motivos desse título. – Kavad Medeiros

Confira os votos individuais de cada um da equipe:

top-10

>> CLIQUE AQUI PARA VER O TOP 20 DO PRIMEIRO SEMESTRE



ShopLine